Fernando Pinto: a TAP tem que "entrar num ciclo virtuoso"

"A TAP parou de crescer e agora tem que se preparar para o próximo salto", diz Fernando Pinto

O presidente da TAP, Fernando Pinto, afirmou hoje que a companhia aérea tem que "entrar num ciclo virtuoso", o que passa por reduzir os custos, aumentar as receitas e a capacidade de investimento.

"Temos que ter menos custos, maior capacidade de investimento, uma maior atividade, maior volume de vendas e com isso voltamos ao ciclo. É assim que vamos para a frente", afirmou hoje Fernando Pinto num encontro com os trabalhadores do grupo, a decorrer na sede da empresa, em Lisboa.

O presidente da TAP começou por designar o estudo da consultora Boston Consulting Group, divulgado em 18 de setembro pela Lusa, como "imaginário", contendo ideias que "estavam a ser desenvolvidas".

Mas, duas semanas depois, acrescentou, "o estudo está pronto para avançar para uma segunda etapa", com o objetivo de "preparar a TAP para o futuro", tendo chamado os trabalhadores para conhecerem "as ações" a implementar.

"A TAP parou de crescer e agora tem que se preparar para o próximo salto", declarou o gestor aos trabalhadores, realçando que "todas as companhias conseguiram reduzir as tarifas por via de uma maior eficiência".

No estudo, a consultora Boston Counsulting Group propõe um "programa ambicioso" para a TAP poupar entre 150 a 200 milhões de euros até 2020.

No projeto "Transformar a TAP numa companhia aérea mais eficiente", a que a Lusa teve acesso, a Boston Consulting considera que os custos da TAP estão numa boa posição quando comparados com as companhias de bandeira, mas precisa de ser mais eficiente para competir com as de baixo custo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG