Famílias gastaram 7 mil milhões em dezembro

Hotéis, restaurantes e postos de combustível estão entre os estabelecimentos com maior crescimento face ao ano anterior.

Entre levantamentos e pagamentos, os portugueses gastaram 6942 milhões de euros no último Natal e Ano Novo. Os dados divulgados ontem confirmam um regresso a valores pré-crise, como se antecipava, e mais um sinal da melhoria da confiança dos consumidores, que o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) também tem revelado.

Ainda ontem, o gabinete de estatísticas nacional confirmou que em dezembro a confiança dos consumidores subiu pelo quarto mês consecutivo para atingir o valor mais elevado em 16 anos.

Esta evolução "resultou sobretudo do contributo positivo das perspetivas relativas à evolução do desemprego e das expectativas relativas à situação económica do país", referiu o INE. Terá sido também uma das razões para que entre 28 de novembro e 1 de janeiro de 2017, a rede Multibanco tenha registado 41,8 milhões de levantamentos e 101,3 milhões de pagamentos em loja. As operações cresceram 8%; o valor subiu praticamente na mesma proporção (7,8%). Isto refletiu--se numa média de 70 euros levantados por dia e de 40 euros gastos em pagamentos diretos em loja.

O período do Natal foi, como já é habitual, o mais agitado ao nível das compras. Por dia, entre 1 e 31 de dezembro, a SIBS registou seis milhões de operações em caixas e terminais de pagamento automático, tendo sido o dia 23 de dezembro o mais agitado de todos com 8,4 milhões de operações - mais 8,8% do que no dia homólogo, que também tinha sido o mais agitado de 2015.

Mas nem só de presentes natalícios e primeiras corridas aos saldos se fez a quadra. Os restaurantes e hotéis, que apostaram em programas de Natal e Passagem do Ano - muitos com casa cheia, especialmente na Madeira -, também sentiram a maior disposição para gastar. Os pagamentos nestes estabelecimentos aumentaram 17,5% face a dezembro de 2015, para 13,9 milhões de compras.

O mesmo aconteceu nos postos de combustível, com a segunda maior subida logo depois do alojamento e restauração. Os pagamentos cresceram 12,6%, totalizando 8,4 milhões de operações. Também os supermercados sentiram o aumento das compras, com um crescimento de 7,6% nas operações para 31 milhões de compras em terminais de pagamento multibanco. Esta é ainda a área onde os portugueses fazem maior número de operações durante a época natalícia. Só depois surge o comércio a retalho, que este ano cresceu 4% para 27,9 milhões de operações.

E o turismo como se refletiu? Houve um aumento de 18,6% no número de compras e levantamentos efetuados com cartões estrangeiros em Portugal, face aos dados de 2015. Estes cartões representam já 2% do volume total de compras e levantamentos efetuados.

Os cartões de origem francesa foram os que mais operações registaram - um total de 924,6 mil -, confirmando a tendência crescente do número de turistas e até residentes franceses em Portugal. Logo atrás em número de operações, e desmistificando os eventuais impactos do brexit, surgem os cartões do Reino Unido, que foram os que registaram maior crescimento entre os cartões estrangeiros. Ao todo, foram efetuadas 180,3 mil compras e levantamentos com estes cartões, mais 37,3% do que no período comparável. Logo atrás surgem as utilizações de cartões espanhóis.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG