Empresa perde 165 milhões: fundador morre sem deixar password

Gerald Cotten morreu na Índia e não deixou password de acesso ao sistema da QuadrigaCX, empresa canadiana de câmbio de criptomoedas.

Um tremendo azar ou uma fraude gigantesca? É a questão que colocam nesta altura milhares de utilizadores da plataforma QuadrigaCX, a maior empresa canadiana de câmbio de criptomoedas, que perderam o acesso a mais de 190 milhões de dólares (165 milhões de euros) que estavam distribuídos por moedas virtuais como Bitcoin, Ethereum, Litecoin, entre outras.

Gerald Cotten, fundador da Quadriga e um dos pioneiros das moedas virtuais, morreu no passado mês de dezembro, aos 30 anos, vítima de complicações da doença de Crohn que o afetava, quando estaria a abrir um orfanato na Índia segundo informou a empresa.

E o problema, de acordo com a viúva de Cotten, é que ele não deixou a contra-senha para aceder ao "porta-moedas" digital onde estão armazenadas as reservas financeiras da QuadrigaCX. No total, são mais de 165 milhões de euros que estão em risco de desaparecerem, afetando mais de 115 mil utilizadores.

A empresa emitiu um comunicado a 31 de janeiro onde dá conta do encerramento da atividade, por falta de liquidez, e de um pedido de proteção a credores que deu entrada no Supremo Tribunal de Nova Escócia, no Canadá.

"Os depósitos de criptomoeda da Quadriga estão inacessíveis e podem ter-se perdido para sempre", refere a viúva, Jennifer Robertson, no pedido registado no tribunal, onde também refere ter já recebido ameaças e insultos de pessoas que questionam a "misteriosa" morte de Cotten e insinuam tratar-se de uma mega fraude.

"O computador onde ele fazia todas as atividades relacionadas com a Quadriga está encriptado e ele não deixou a contra-senha. Já procurei por todo o lado, mas não encontro", refere Jennifer.

Alguns analistas ligados ao mundo das criptomoedas reforçaram as suspeitas ao mostrar que algumas carteiras foram movimentadas desde que os problemas foram relatados

Já no início de 2018 a QuadrigaCX se tinha visto envolvida em transações suspeitas, que levaram na altura o Banco Imperial de Comércio Canadiano (CIBC) a congelar 26 milhões de dólares da empresa. Agora, a noticiada morte de Cotten deixa em risco 165 milhões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG