Educação, saúde e proteção social só valem 8,5% dos benefícios fiscais

Grande parte do alívio serve de incentivo à economia e traduz taxas reduzidas de IVA. Há mais de 500 tipos de benefícios fiscais e estão em revisão.

Os benefícios fiscais atribuídos à educação, à saúde e à proteção social estão a crescer, mas o peso que têm nos descontos do Fisco é ainda inferior a um décimo do total. No ano passado, estas áreas representaram apenas 8,5% da despesa, ou 1115,3 milhões de euros que Estado e administrações locais deixaram de cobrar num total de 13 117,3 milhões de euros.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.