EDP ameaça avançar a solo para construção da barragem do Fridão

A elétrica defende que há um contrato a cumprir. Se o Governo não devolver os 218 milhões, a empresa vai prosseguir com o projeto.

António Mexia garante que a EDP não está a travar mais um braço de ferro com o Governo, mas a verdade é que o anúncio do ministro do Ambiente e da Transição Energética, Matos Fernandes, de cancelar a construção da barragem do Fridão, no rio Tâmega, sem devolver os 218 milhões de euros investidos pela elétrica, há uma década, veio pôr fim à curta lua-de-mel com a nova tutela.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos