Do Rato à Ameixoeira são 15 minutos de distância e mais três mil euros por metro quadrado

Preço mediano por metro quadrado subiu para 1054 euros no terceiro trimestre, mais 7,1% face ao mesmo período de 2018. Crato é o concelho onde comprar casa é mais barato.

A viagem entre as estações do Rato e da Ameixoeira, nos dois extremos da Linha Amarela do Metro de Lisboa, demora apenas 15 minutos, mas na hora de comprar casa há uma distância de praticamente 3000 euros na mediana do preço por metro quadrado: 4889 euros em Santo António; 2090 euros em Santa Clara, de acordo com as estatísticas de preços da habitação a nível local, publicadas ontem pelo INE.

O preço por metro quadrado na freguesia mais cara de Lisboa vale quase cinco vezes mais do que a média nacional, 1054 euros. Este montante é um aumento de 70 euros (+7,1%) na comparação com o mesmo período de 2018.

Apesar de Lisboa continuar a ser o concelho mais caro do país - cada metro quadrado custa 3205 euros -, os preços estão a subir mais nos municípios que estão dentro da área metropolitana da capital. Na Amadora, o preço do metro quadrado disparou 22,1% nos últimos 12 meses para 1439 euros; em Sintra, a subida foi de 18,9%, para 1141 euros; no Barreiro, o agravamento foi de 17,9%, para 908 euros.

No Grande Porto, foi na própria cidade Invicta que os preços mais aumentaram: o metro quadrado no Porto já vale 1802 euros, mais 18,2% do que no mesmo período de 2018; em Matosinhos, cresceu 18,1%, para 1419 euros; em Vila Nova de Gaia, a subida foi de 17,6%, para 1050 euros. Nesta região, os preços baixaram 1,3% nos concelhos de Arouca e de Vale de Cambra.

O INE, perante estes aumentos, sugere que existe um efeito "centro-periferia, verificando-se crescimentos mais elevados nos municípios contíguos a Lisboa (Loures, Odivelas, Amadora, Oeiras e Almada) e Porto (Matosinhos, Maia, Gondomar e Vila Nova de Gaia) do que nos restantes municípios das respetivas áreas metropolitanas.

O preço do metro quadrado na freguesia mais cara do Porto custa metade do que a freguesia mais cara de Lisboa. Dentro da cidade do Porto, a união de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde vale 2414 euros; no polo oposto, o metro quadrado na Campanhã tem uma avaliação de 1170 euros - disparou 18,7% no espaço de um ano.

Portugal é um país muito desigual pelo menos no que toca ao mercado imobiliário. Em pleno Alentejo, no concelho do Crato, o mais barato, cada metro quadrado vale apenas 185 euros. Ou seja, uma casa de 100 metros quadrados vale, em média, 18 500 euros; na Avenida da Liberdade, no coração da freguesia mais cara de Lisboa, a mesma casa custaria 488 900 euros, qualquer coisa como 26 vezes mais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG