“Direção de risco não era amada na CGD. No fim mandava a parte comercial”

O antigo responsável da direção de gestão de risco diz que não se sentiu “desconsiderado” por ter tido pareceres que não foram seguidos.

Vasco D’Orey revelou que a direção de gestão de risco (DGR) não causava grandes simpatias na Caixa Geral de Depósitos. “A DGR não era o órgão amado na CGD”, disse. “Éramos os que colocavam dificuldades”, afirmou. Apesar disso, o antigo diretor do banco público garantiu que a sua unidade era “totalmente independente”.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos