Detroit perdeu uma década de recuperação em apenas 72 horas

Cidade de referência da indústria automóvel norte-americana enfrenta maior crise social desde a Grande Depressão, na década de 1930.

Detroit é a capital automóvel nos Estados Unidos. É nesta cidade que estão instaladas as sedes e as principais fábricas dos grupos automóveis General Motors, Ford e Fiat-Chrysler. Só que o novo coronavírus foi demolidor e obrigou as fábricas dos três grupos automóveis no dia 18 de março. Dezenas e dezenas de empresas foram arrastadas pela situação e também fecharam portas. A cidade do estado do Michigan perdeu uma década de recuperação da economia e enfrenta a maior crise social desde a Grande Depressão, da década de 1930.

"Quando os Estados Unidos se constipam, o Michigan tem uma pneumonia", assinala o especialista Don Grimes, da universidade do Michigan, citado pelo El País. "As recessões da economia afetam-nos com mais força do que ao resto do país por causa da estrutura da nossa economia, muito dependente da indústria e, em especial, do automóvel. Numa crise, o automóvel perde mais do que outras indústrias", acrescenta o especialista.

Leia o artigo completo em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG