Centeno mais perto do FMI. Dijsselbloem e Carney perdem apoio

Site da Politico avança que o holandês e o inglês, anteriores favoritos na corrida a Washington, perderam apoio.

O presidente do Eurogrupo e ministro das Finanças português, Mário Centeno, estará mais perto de suceder a Christine Lagarde, em setembro, na liderança do Fundo Monetário Internacional.

O site europeu da revista norte-americana Politico avança esta quinta-feira que os favoritos até aqui à liderança da instituição internacional perderam apoio. O holandês Jeroen Dijsselbloem terá merecido ontem a oposição de Itália e do Reino Unido numa reunião informal à margem do encontro de ministros das Finanças do G7 que decorre em França.

Já o governador do banco de Inglaterra, Mark Carney, não recolhe apoios com fontes citadas pelo Politico a darem conta do desinteresse em ter um britânico a liderar o FMI após o Brexit.

Sobram assim Mário Centeno e mais dois outros nomes: a ministra da Economia de Espanha, Nadia Calviño, e Olli Rehn, governador do banco central finlandês.

A lista de candidatos europeus deverá ser decidida até ao final do mês.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG