Banco suíço BSI resgatado na sequência de escândalo financeiro

Supervisor suíço acusou instituição de "falhas graves" relacionadas com lavagem de dinheiro num esquema de corrupção que envolve o primeiro-ministro da Malásia

Os reguladores financeiros suíços anunciaram hoje que concordam com o resgate do Banco BSI, que está ligado a um caso de corrupção que envolve o chefe do Governo da Malásia.

O supervisor (FINMA) acusou formalmente a instituição financeira suíça BSI de ter cometido "falhas graves", nomeadamente relacionadas com lavagem de dinheiro nas transações do fundo soberano da Malásia, um escândalo que envolve o primeiro-ministro Najib Razak.

Pouco antes do anúncio da decisão, o diretor-geral do BSI, Stefano Coduri, tornava pública a demissão do cargo.

Entretanto, a Procuradoria-Geral da Suíça, em comunicado, refere que "suspeita de falhas internas no banco BSI", prevendo-se uma investigação judicial.

Paralelamente, o Banco Central de Singapura anunciou que vai proceder ao encerramento da sucursal do banco suíço na cidade-Estado, acrescentando que vai formalizar um pedido sobre um inquérito judicial aos seis altos cargos do BSI, entre os quais o diretor-geral, que se demitiu hoje de manhã.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG