Banco de Portugal deixa passar crédito sem garantia no Montepio

Em causa está um empréstimo de 17 milhões a José Guilherme. BdP mandou resolver o vazio em 2018.

Durante quatro anos, o Montepio, supervisionado pelo Banco de Portugal, não foi obrigado a registar como imparidade o crédito de 17 milhões de euros concedido a José Guilherme, avança o Público, esta segunda-feira. Entre meados de 2014 e final de 2018, o BdP aceitou como válida uma garantia bancária emitida pelo Finibanco Angola, mas este banco, controlado pelo Montepio, não reconhecia a garantia desde 2015, adianta o jornal diário.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG