Banco de Inglaterra pronto para injetar 250 mil milhões de libras adicionais

O governador do Banco da Inglaterra afirmou que o país "está preparado" para os resultados do referendo e que a instituição vai "tomar todas as medidas necessárias"

O Banco de Inglaterra vai tomar "todas as medidas necessárias" para garantir a estabilidade, após a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia.

"O Banco da Inglaterra vai tomar todas as medidas necessárias para cumprir com a sua responsabilidade em termos de estabilidade monetária e financeira", garantiu esta sexta-feira o banco central, em comunicado, acrescentando que está a monitorizar de perto os desenvolvimentos após o referendo de quinta-feira.

O governador do Banco de Inglaterra (BoE), Mark Carney, declarou que a instituição está pronta para injetar 250 mil milhões de libras esterlinas (326 mil milhões de euros) de fundos adicionais, depois da vitória do 'brexit'.

Além desta injeção de liquidez para assegurar a liquidez suficiente para o funcionamento dos mercados depois da vitória do 'brexit', o banco central britânico "também está disposto a fornecer liquidez considerável em divisas estrangeiras em caso de necessidade", adiantou Carney, numa intervenção transmitida pela televisão.

A "Velha Senhora de Threadneedle Street", como é denominada a instituição, já tinha anunciado anteriormente hoje, num breve comunicado, que "tomaria todas as medidas necessárias" para assegurar as suas responsabilidades e garantir a estabilidade monetária e financeira ao Reino Unido.

O BoE sublinhou que tinha trabalhado antecipadamente em soluções de segurança em profundidade e que trabalharia estreitamente com o Tesouro britânico e os outros grandes bancos centrais.

A libra esterlina afundou-se esta sexta-feira depois dos britânicos terem decidido em referendo a saída do país da União Europeia, 'brexit' ("British Exit"), com 51,9% dos votos a favor.

Depois de ter atingido um máximo desde meados de dezembro de 1,5018 dólares por uma libra, quando as últimas sondagens apontavam para uma ligeira vantagem dos apoiantes da manutenção, a divisa britânica caiu hoje cerca de 12% para 1,3229 dólares, o nível mais baixo em 30 anos, cerca das 4:25 de Lisboa, quando os resultados começavam a mostrar uma vitória do 'brexit'.

A bolsa de Londres também abriu hoje em forte baixa, com o principal índice, o FTSE-100, a cair mais de 8% no início da sessão.

Siga aqui o brexit minuto a minuto

A perspetiva de uma rutura entre Londres e Bruxelas fez também cair as bolsas asiáticas.

Em Tóquio, o índice Nikkei caiu hoje 7,92% e o governador do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, comprometeu-se a fazer uso da permuta de divisas, entre outras medidas, para estabilizar os mercados.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia, depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, segundo os resultados finais.

Os defensores da saída do Reino Unido do bloco europeu tiveram 17,41 milhões de votos e os partidários da permanência na União Europeia obtiveram 16,14 milhões de votos, de acordo os dados divulgados no portal da BBC, após ter terminado o apuramento em todos os 382 círculos eleitorais.