Apple apresenta novos Macs com processador próprio

No evento com o nome "One More Thing", frase popularizada por Steve Jobs, a Apple apresentou os primeiros computadores a contar com um processador próprio, desenvolvido pela tecnológica norte-americana.

Naquele que foi o terceiro evento da tecnológica num formato adaptado à pandemia, no espaço de dois meses, a empresa liderada por Tim Cook apresentou novidades na linha de computadores Mac.

Indicando que o negócio de computadores cresceu "30% no último trimestre", Cook avançou que este era o dia de conhecer os chips da linha Apple Silicon.

"Hoje damos o primeiro passo para a transição", explicou o responsável. Já há algum tempo que era conhecido que a Apple estaria interessada em depender dos seus próprios chips para os computadores, afastando-se de gigantes como a Intel.

O primeiro chip apresentado é o M1, com a Apple a indicar que este será "o primeiro chip para computação pessoal a utilizar a tecnologia 5 nm líder da indústria".

O primeiro Mac a chegar ao mercado com o M1 é uma versão atualizada do Macbook Air, conhecido pelas dimensões reduzidas e leveza - a empresa refere inclusive que "este é o computador mais popular".

A Apple defende que, com este novo componente M1, este Macbook Air atualizado será "mais rápido que 98% dos portáteis vendidos no ano passado", prometendo a execução de tarefas "até três vezes mais rápido do que no MacBook Air anterior".

No mercado norte-americano este Macbook Air custará 999 dólares. Em Portugal o preço é diferente, como é habitual: a versão com 256 GB de armazenamento custará 1 159 euros e a versão com 512 GB custará 1 429 euros.

O Macbook Air com M1 não chegará sozinho ao mercado, já que também o Mac Mini estará disponível com M1. No mercado norte-americano o Mac Mini arrancará com preços na ordem dos 699 dólares, "menos 100 dólares do que a versão anterior".

Outro modelo a ser alvo de mudança é o Macbook Pro na versão de 13 polegadas - o "Macbook Pro mais acessível da linha", aponta a Apple. Neste caso, são prometidos gráficos "até cinco vezes mais rápidos" e uma bateria com autonomia até 20 horas.

As pré-vendas destes equipamentos arrancarão esta terça, dia 10, com a chegada ao mercado marcada para a próxima semana, no dia 17.

macOS Big Sur

Com portáteis com novos processadores, a Apple apresentou também a próxima atualização de software, o macOS Big Sur, defendendo que, pela primeira vez, pôde desenvolver software especificamente para o M1.

Numa passagem rápida pelas potencialidades desta atualização, a Apple aponta que será possível, por exemplo, começar a trabalhar instantaneamente de um modo de suspensão.

Outro dos pontos de destaque foi a otimização de todas as aplicações próprias da Apple para o M1.

Esta novidade estará disponível a partir desta quinta-feira, dia 12 de novembro.

em atualização

Cátia Rocha é jornalista Dinheiro Vivo

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG