Jack Dorsey abandona liderança do Twitter

Parag Agrawal, até aqui diretor de tecnologia, será o novo CEO do Twitter

Ana Rita Guerra / Dinheiro Vivo
Jack Dorsey© DR

Jack Dorsey já não é CEO do Twitter. O cofundador da rede social deixou o cargo, com efeitos imediatos, e o conselho de administração elegeu o diretor de tecnologia Parag Agrawal para o substituir.

"Decidi deixar o Twitter porque acredito que a empresa está pronta para seguir em frente para lá dos fundadores", disse Dorsey, no comunicado oficial da sua saída. "A minha confiança no Parag como CEO do Twitter é profunda. O seu trabalho nos últimos dez anos tem sido transformador", continuou. "Estou profundamente agradecido pela sua habilidade, coração e alma. Chegou o seu tempo de liderar."

Agrawal está na rede social há mais de uma década e foi nomeado CTO em 2017.

Segundo a empresa, Dorsey continuará a ter assento no conselho de administração até que o seu atual mandato expire, na reunião anual de investidores em 2022.

Bret Taylor, que é presidente e diretor de operações da Salesforce, passa a chairman do conselho, em substituição de Patrick Pichette.

Nas primeiras declarações como novo CEO, Parag Agrawal agradeceu ao conselho de administração pela confiança na sua liderança e a Jack Dorsey pelo seu apoio e mentoria.

"Estou ansioso para construir em cima de tudo o que conquistámos sob a liderança do Jack e sinto-me muito estimulado pelas oportunidades que se seguem", disse. "Ao continuar a melhorar a nossa execução, vamos entregar um valor temendo aos nossos clientes."

Em reação ao anúncio, as ações do Twitter dispararam mais de 4,5%, com o mercado a dar o seu aparente aval à mudança. A valorização acabou por se dissipar e os títulos da rede social, que não modificou nada no seu outlook financeiro, estão agora a cair ligeiramente (-0,7%).

Jack Dorsey - que acumulou a liderança do Twitter com a da Square desde 2015, ano em que regressou à rede social depois de ser empurrado para fora dela em 2008 - tinha conseguido sobreviver a uma tentativa de afastamento perpetrada pelo fundo Elliott Management em 2020. Desta feita, Dorsey não deu mais nenhuma explicação sobre o que motivou a sua saída, que parece ser repentina por ter efeitos imediatos.