Tem 70 anos e foi a mais velha a pedalar na 'Estrada da Morte' da Bolívia

Depois de começar a pedalar para lidar com a tragédia da morte de um filho, Mirtha Munoz completou agora os 60 km de uma das mais radicais provas de ciclismo.

A 'Estrada da Morte' da Bolívia não é local onde se espere encontrar uma mulher de 70 anos a pedalar na sua bicicleta. É considerada a estrada mais perigosa do mundo, com um percurso que leva a uma altitude de cerca de 3300 metros, desde as selvas do país até aos picos dos Andes. Nevoeiro, chuva e deslizamentos de rochas são frequentes. A estrada provavelmente já matou milhares de pessoas.

Mas para a boliviana Mirtha Munoz, de 70 anos, a mais velha competidora de todos os tempos na Skyrace, uma corrida de 60 km da Bolívia, sendo uma competição radical de ciclismo​​​​​​, foi uma extensão natural de uma paixão que esta mulher conquistou há anos.

Munoz começou a andar de bicicleta por conselho de familiares e de uma amiga psicóloga depois de ter visto o seu filho morrer inesperadamente. "A bicicleta poderia ajudar a superar a minha dor e a reconstruir", disse a septuagenária.

Concluir a corrida de sábado foi uma conquista máxima. "É uma subida vertical, uma pessoa sobe e sobe e não há descanso", disse Munoz à Reuters ao terminar a corrida.

Mirtha Munoz, uma das fundadoras da corrida, diz que gosta de andar de bicicleta mas de forma mais discreta com os seis netos, embora admita que espera que o mais velho, agora com 18 anos, siga o seu exemplo em breve.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG