Suspeitas de fraude no futebol belga levam a investigações em sete países

Foram efetuadas mais de 60 buscas em casas de dirigentes, árbitros, jogadores, treinadores e empresários, bem como aos clubes Anderlecht, FC Brugge e Standard Liége

A polícia realizou esta quarta-feira cerca de 60 buscas em sete países europeus por suspeitas de fraudes relacionadas com transferência de jogadores e manipulação de resultados na Liga da Bélgica, anunciou o ministério público belga.

De acordo com o comunicado, as buscas mobilizaram 220 polícias na Bélgica, França, Luxemburgo, Chipre, Montenegro, Sérvia e Macedónia, levando à detenção para interrogatório de um grande número de pessoas, cujas identidades não foram reveladas.

Um porta-voz do ministério público confirmou à agência AFP, a detenção de Mogi Bayat, um dos empresários de jogadores mais influentes da Bélgica. A instância judicial refere que as "investigações abrangem atividades de uma rede criminosa, nomeadamente, branqueamento de capitais e corrupção".

Segundo a imprensa belga, a polícia terá realizado buscas em casas de dirigentes, empresários, árbitros, treinadores e jogadores, assegurando ainda que foram realizadas buscas em vários clubes, designadamente, Club Brugge, Anderlecht e Standard Liége, o único que já confirmou a presença da polícia nas suas instalações.

A investigação tem como base um relatório da Unidade de Fraude Desportiva da Polícia Federal, de 2017, que revelou indícios de transações suspeitas na principal competição belga de futebol.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG