Surpresa em Paris: Manchester United desfalcado elimina PSG

Depois da derrota sofrida em Old Trafford, por 2-0, a equipa inglesa venceu por 3-1, com o último golo a surgir de grande penalidade, depois de o árbitro parar o encontro para ver as imagens, após o minuto 90

O Manchester United surpreendeu esta quarta-feira o PSG, e provavelmente muita da Europa do futebol, ao vencer por 3-1 em Paris, depois de um desaire por 2-0 em Old Trafford. Os parisienses, com muitas culpas nos dois primeiros golos, viram os ingleses ganhar vantagem depois dos 90', quando Rashford converteu uma grande penalidade após intervenção do VAR. Diogo Dalot jogou uma hora na defesa dos ​​​​​​red devils.

Herrera, Lingard, Martial, Mata, Pogba, Alexis e Matic. Não são todos, mas são provavelmente as mais importantes ausências no Manchester United, que se apresentou hoje em Paris com outras soluções, como Fred, McTominay e Pereira. Após a derrota por 2-0 em Manchester, muitos não acreditavam numa reviravolta.

Kehrer, lateral direito do PSG, quis aos 2' dar a bola aos colegas do centro da defesa, mas o mau passe acabou por iniciar uma disputa entre Lukaku e Thiago Silva. O possante avançado belga do Manchester United foi mais forte e ultrapassou Buffon antes de fazer o golo.

A equipa de Paris não se deixou abater e conseguiu empatar passados dez minutos, quando Bernat se limitou a encostar um remate cruzado de Mbappé. Os ingleses também não vacilaram e, à meia hora de jogo, Lukaku bisou no encontro, com muita ajuda de Buffion, que devia ter resolvido facilmente um remate de Rashford. Pouco depois, devido a lesão de Bailly, o português Diogo Dalot entrou no encontro.

Até ao intervalo não se verificaram mais golos, e durante a maior parte da segunda parte também não, até aos 90+1', quando o Parque dos Príncipes gelou, depois do árbitro Damir Skomina interromper o jogo para vir as imagens do lance anterior. Foi de Dalot o remate que desviou no braço de Kimpembe, e que o árbitro considerou ser lance de grande penalidade. Rashford não tremeu e colocou os ingleses em vantagem, que ainda tiveram de sofrer até aos 90+9', encostados ao seu guarda-redes David De Gea. Quem sofreu também foi Neymar, de fora por lesão, já de pé nos últimos momentos do encontro.

E se o PSG continua a não convencer na Liga dos Campeões, Ole Gunnar Solskjaer continua a transformar em resultados concretos o estado de graça que ganhou e mereceu desde que chegou ao comando do Manchester United.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.