Sousa Cintra: "Os jogadores que vêm são de grande categoria"

Presidente provisório da SAD não descarta Slimani, alerta os rivais e também o Atlético de Madrid e o Wolverhampton no que toca a Gelson Martins e Rui Patrício: "Não estamos em saldos"."

Sousa Cintra está muito confiante em fazer uma equipa de grande categoria em Alvalade. Quando lhe foi perguntado por Slimani deu esperanças aos adeptos leoninos: "Naturalmente é um grande jogador foi um goleador fantástico no Sporting. A massa associativa gosta dele. Tudo na vida é possível. Só aqueles que não acreditam é que desistem. Vamos aguardar calmamente sem fazer espalhafatos e promessas."

Em entrevista à CMTV, Cintra foi confrontado com o nome de Javi García e viu no espanhol ex-benfica o pretexto perfeito para dizer o que queria: "Não vou fazer promessas deste ou daquele jogador. O que prometo é que os jogadores que vêm são de grande categoria. No passado aconteceram coisas lamentáveis. O Sporting gastou milhões em jogadores que nunca jogaram. Isso não vai acontecer comigo, só vou adquirir jogadores que façam falta e tenham qualidade."

Depois abordou o tema Gelson: "Falei com Gelson de forma demorada. Gosto muito dele, os sportinguistas gostam muito dele e gostava de o ver jogar no Sporting. Infelizmente, o Gelson pensa noutras coisas, talvez por estar mal aconselhado. É um grande jogador, mas nem sempre controlamos o destino. Acho que é desagradável, mas tenho esperança. Não há cá jogadores a preço de saldo. O Atlético negociou connosco, mas se não chegarmos a acordo, não chegamos. Queremos ser respeitados."

Mais próximo de um entendimento estará o Sporting com o Wolverhampton, clube que contratou Rui Patrício: "Acho que é possível, é provável que isso aconteça. É a minha convicção. Ninguém ganha com guerras. Se for possível chegar a um entendimento ótimo. Se não for possível há os tribunais. Não vou aceitar qualquer proposta, tem de ser de acordo com o valor real. Será sempre melhor fazermos acordos do que entrarmos em guerras."

Em seguida, abordou os possíveis regressos de Battaglia e Rafael Leão: "São assuntos por resolver. Não vale a pena agora falar. Não vamos entrar em especulações."

Interessantes foram as revelações das conversas com bas Dost: "A persistência é importante. Só perde quem desiste, quem me conhece sabe que luto até à exaustão. Bas Dost é um jogador indispensável à ambição do Sporting. Onde ia encontrar alguém com provas dadas, que teria de se ambientar, que fizesse tudo o que ele fez? Ouvimos as preocupações dele. 'E se ele [Bruno de Carvalho] volta? Vai haver eleições'. Tivemos essas conversas. Não há nenhuma cláusula que faça referência a um regresso de Bruno de Carvalho nem nenhuma cláusula sobre segurança."

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.