Sergio Ramos fala da crise do Real Madrid em entrevista no Twitter... a ele próprio

Central espanhola aborda o momento do clube tricampeão europeu que, nas duas últimas semanas, ficou sem possibilidade de ganhar qualquer competição

Sérgio Ramos abordou esta segunda-feira no Twitter a crise do Real Madrid, mas fê-lo de uma forma, no mínimo original: entrevistou-se na sua conta de twitter. "Nós, futebolistas, gostamos é de falar em campo, mas esta temporada não está a ser assim. O desenrolar dos acontecimentos nas datas recentes tem sido desastroso e não me escondo, não nos escondemos. Os jogadores são os máximos responsáveis e eu, como capitão, o que mais responsabilidade tem. Por isso pensei que a forma mais honesta de abordar as perguntas que circulam ao nosso redor é encará-las diretamente", começou por dizer, numa espécie de nota introdutória.

Sobre se foi um erro o cartão amarelo em Amesterdão que o tirou do jogo da segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões com o Ajax, Sérgio Ramos respondeu assim: "Foi um erro de cima a baixo e assumo-o a 200%."

Sem filtro, o "entrevistador" não se demitiu de fazer perguntas difíceis, como a razão da gravação do documentário sobre ele mesmo durante o jogo com o Ajax no Bernabéu, em que o Real Madrid perdeu por 1-4 há cerca de uma semana. "Há compromissos e não pensei que o jogo pudesse desenrolar-se daquela maneira. A gravação foi decrescendo com o avançar do jogo", respondeu.

"Discutiste com o presidente? As coisas do balneário não se falam e resolvem aqui. Não há problema algum e apenas há um interesse de todos: o Real Madrid. Deste uma reprimenda aos companheiros e fizeste reprovações? No balneário falamos sempre e motivamo-nos de forma construtiva", pode ler-se num dos tweets.

"Tiveste uma discussão com Marcelo? Temos despiques em todos os treinos. A tensão faz parte de trabalho, mas é uma mera anedota do dia-a-dia. Marcelo é como um irmão para mim", prosseguiu, justificando a presença este domingo em Valladolid, onde o Real Madrid jogou sem o capitão: "Queria estar por perto e apoiar os meus companheiros."

"O que se passa com o treinador? É uma decisão que não nos diz respeito e na qual jamais iremos interferir. Temos um enorme respeito pelo cargo e apoiamos sempre o treinador do Real Madrid", escreveu, referindo-se a Santiago Solari.

"Estas reflexões sem dúvida que são consequência de uma temporada profundamente dececionante, mas se não paramos quando tivemos êxito, não vamos parar com a derrota. Estamos obrigados a continuar, a trabalhar e a evoluir. Sempre tive presente que somos uns sortudos por passarmos pelo Real Madrid, fazer parte da sua história, mas o Real Madrid foi, é e será o Real Madrid sempre. Nenhum homem marca a lenda, mas todos os nomes juntos a escreveram", concluiu, talvez em alusão a Cristiano Ronaldo, antes de reproduzir os tweets em inglês.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG