Salvio: "Estou muito agradecido a Rui Vitória"

O extremo argentino assume o desejo de "reverter a situação com Bruno Lage" e garantiu que quer manter-se no Benfica durante "muitos anos"

Salvio abordou esta terça-feira a saída de Rui Vitória do comando técnico do Benfica numa entrevista concedida à BTV. "São coisas que acontecem no futebol, por vezes o treinador tem de sair, tal como os jogadores, mas estou muito agradecido a ele por tudo, ajudou-me muito a crescer como jogador e pessoa", disse.

O extremo argentino que está há onze épocas no clube assumiu depois o desejo de dar a volta ao mau momento da equipa com o novo treinador. "Há que continuar com o mister Bruno Lage, com quem vamos procurar reverter esta situação", sublinhou.

Salvio deixou a certeza que este ano a equipa do Benfica vai dar tudo para reconquistar o título de campeão nacional. "Temos tudo para dar a volta à situação e conseguir o título. Posso lembrar que no ano do tricampeonato estivemos muitos pontos atrás e era muito complicado, mas conseguimos ganhar o campeonato. Por que não conseguiremos este ano? Vamos continuar a lutar jogo a jogo e no final fazem-se as contas."

Na semana passada Salvio assinou a renovação de contrato com o Benfica até 2022, algo que o deixou "muito feliz". "O meu trajeto no Benfica é maravilhoso. Construi aqui uma carreira espetacular, não me arrependo de nada. Sou muito feliz desde o ano que vim como emprestado, depois saí um ano, mas todos sabiam que queria voltar. Não tenho intenção de sair daqui e espero ficar aqui muitos anos", assumiu.

No processo de renovação, o argentino admite que a "muito boa" relação com o presidente Luís Filipe Vieira foi decisiva. "Esteve comigo nos bons e nos maus momentos, sobretudo quando me lesionei gravemente, ligava-me e mandava-me mensagens. Estava sempre a perguntar-me como estava a recuperação", lembrou, antes de fazer uma revelação para mostrar como é a relação com o líder encarnado: "No ano passado, após um jogo com o Sporting, cheguei ao balneário e tinha a noticia que o mau pai tinha cancro. O presidente deu-me todo o apoio e não houve um dia que ele não me perguntasse como estava o meu pai."

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.