É oficial. Benfica anuncia despedimento de Rui Vitória

Os encarnados já comunicaram à CMVM. O treinador não resistiu à derrota em Portimão. Bruno Lage assume o cargo de forma interina

Rui Vitória já não é o treinador do Benfica. O anúncio foi feito num comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), no qual a administração da SAD revela que chegou a "um princípio de acordo" com o técnico "para a rescisão do contrato de trabalho desportivo com efeitos imediatos".

O técnico de 48 anos não resistiu à derrota desta quarta-feira em Portimão, com o Portimonense, que ditou a queda da equipa ao quarto lugar da I Liga.

Ao que o DN apurou, com a saída de Rui Vitória, Luís Filipe Vieira vai promover Bruno Lage da equipa B para a equipa principal, ficando no cargo de forma transitória até ser encontrada uma solução definitiva. Esta decisão já foi aliás confirmada pelos encarnados no seu site oficial, acrescentando que o técnico de 42 anos assegura a orientação da equipa "de imediato e provisoriamente".

Rui Vitória deixa a Luz três anos e meio depois de ter chegado para render Jorge Jesus. Neste período, conquistou dois títulos de campeão nacional, uma Taça da Liga, uma Taça de Portugal e duas Supertaças. No total foram 184 jogos no comando técnico do Benfica, dos quais venceu 125, empatou 28 e perdeu 31.

O técnico esteve na iminência de ser despedido após a goleada de 5-1 sofrida em Munique perante o Bayern para a Liga dos Campeões. Após uma reunião no regresso da Alemanha, estava tudo acertado para a sua saída, mas na manhã seguinte, o presidente do Benfica acabou por voltar atrás na decisão, alegando depois de uma noite de reflexão no Seixal que era "o homem certo para o lugar certo".

"Esta decisão foi muito amadurecida durante a noite e às 7.30 horas de comuniquei numa primeira fase ao Tiago Pinto [diretor geral do Benfica], que ficou perplexo. Devo dizer que mal dormi no Seixal e pensei muito. Foi uma luz que me deu. Quando o Rui Vitória chegou falámos, disse-lhe o que pensava do Benfica e da sua continuidade, e se ele estava preparado e motivado para continuar face ao que tinha acontecido nos últimos dias. A responsabilidade assenta em mim. Depois de refletir muito durante a noite resolvi que ele ia continuar. Continuo a pensar que é o homem certo no lugar certo e vamos ver se o tempo dirá se tenho razão ou não", justificou na altura.

A situação tornou-se agora insustentável, depois de um mês de dezembro em que o Benfica cumpriu todos os objetivos, com sete vitórias consecutivas e um empate na Vila das Aves que permitiu o apuramento para a final four da Taça da Liga. No entanto, à exceção do jogo com o Sp. Braga (goleada de 6-2), as exibições da equipa foram abaixo do exigível e a pressão dos adeptos manteve-se, culminando com lenços brancos em Portimão, onde a derrota por 2-0 foi ditada por autogolos de Rúben Dias e Jardel.

Bruno Lage deve orientar a equipa no domingo com o Rio Ave, embora nos próximos dias Luís Filipe Vieira vá fazer contactos para garantir um novo treinador. O nome de Jorge Jesus, que tem contrato com os sauditas do Al-Hilal até final da época, volta a ser um nome a ter em conta, apesar de haver muita gente dentro do próprio Benfica contra o seu regresso.

Entre os treinadores portugueses disponíveis, o nome de Rui Faria, ex-adjunto de José Mourinho, é preciso ter em conta, uma vez que já esteve em cima da mesa em novembro quando Rui Vitória esteve para sair. Um desejo quase impossível é José Mourinho, que recentemente deixou o comando técnico do Manchester United.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.