Ronaldo marca, Juventus empata e perde liderança para o Inter Milão

Cristiano Ronaldo apontou de penálti o golo do empate na receção ao Sassuolo (2-2). Inter Milão venceu (2-1) o Spal e assumiu a liderança da liga italiana

A Juventus foi este domingo surpreendida em Turim ao consentir um empate caseiro (2-2) diante do Sassuolo, um resultado que custou à equipa a perda da liderança da liga italiana, pois o Inter Milão venceu na receção ao Spal.

Cristiano Ronaldo foi titular e formou dupla no ataque com Higuaín, com o treinador Maurizio Sarri a optar por deixar Dybala (o herói dos últimos jogos) de início no banco.

Bonucci colocou a Juventus em vantagem aos 20 minutos, mas quase logo de seguida Boga empatou o jogo, com um chapéu a Buffon. Logo a abrir a segunda parte, o Sassuolo colocou-se em vantagem, num golo com muitas culpas para o guarda-redes italiano.

A partir daqui, a Juventus fez de tudo para chegar ao empate. E o golo da igualdade surgiu aos 72 minutos, por Cristiano Ronaldo, na marcação de grande penalidade, depois de Dybala ter sido travado na área. Mas não chegou para mais.

A Juventus somou um ponto, contabiliza 36, mas foi ultrapassada pelo Inter Milão, que também neste domingo recebeu e venceu o Spal por 2-1, com um bis de Lautaro Martinez (16' e 41'), e assumiu assim a liderança do campeonato italiano, somando mais um ponto do que a Juventus.

"Não é o resultado que queríamos, mas vamos continuar a trabalhar no duro para alcançar os nossos objetivos", escreveu Ronaldo na rede social Instagram, num comentário ilustrado com fotografias do lance do penálti que marcou.

No final do jogo, Maurizio Sarri falou de Cristiano Ronaldo. "Recuperou em termos de resistência, até está a acabar os jogos em crescendo. O próximo passo será recuperar algum brilho", referiu, lamentando o empate e deixando uma palavra ao guarda-redes Buffon, que teve muitas culpas no segundo golo do Sassuolo: "Tivemos pouca cabeça e esse lance é um exemplo disso, na primeira parte estivemos menos bem, mas na segunda recuperámos. Não vamos culpar o Buffon."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG