Real Madrid está em crise e nome de Mourinho volta à baila

Derrota dos merengues por 0-3 em Paris fragilizou a posição do treinador Zinédine Zidane. Técnico português surge como principal candidato à sucessão

A posição de Zinédine Zidane como treinador do Real Madrid está cada vez mais fragilizada, depois de um arranque pouco convincente na liga espanhola - duas vitórias e dois empates nas quatro primeiras jornadas - e de uma entrada catastrófica na Liga dos Campeões, com derrota por 0-3 no terreno do Paris Saint-Germain.

O técnico francês, que guiou os merengues à conquista de três Champions, poderá estar à beira da saída, e já começam a surgir nomes de potenciais sucessores. O principal candidato, diz a imprensa espanhola, é mesmo José Mourinho, que orientou a equipa da capital espanhola entre 2010 e 2013, tendo interrompido a hegemonia do Barcelona de Pep Guardiola ao conquistar um campeonato, uma Taça do Rei e uma Supertaça de Espanha, além de ter levado o clube por três vezes às meias-finais da Liga dos Campeões, etapa que o Real Madrid já não atingia desde 2002/03.

O treinador setubalense, 56 anos, está sem clube desde 18 de dezembro do ano passado, e já foi apontado ao banco do emblema blanco em março, quando Santiago Solari foi demitido na sequência de maus resultados. Na altura, porém, a escolha do presidente Florentino Pérez recaiu em Zidane.

Quando toma a decisão de destituir um treinador, normalmente Florentino olha para quem está livre ou para a equipa secundária, o Castilla. Esse padrão coloca também o ex-treinador da Juventus, Massimiliano Allegri, e o técnico do Castilla e antigo capitão do Real Madrid, Raúl, como hipóteses para a sucessão.

Exclusivos