Paula Leça era uma das raparigas que dava hambúrgueres a Cristiano Ronaldo

Português revelou numa entrevista que gostava de encontrar quem lhe dava de comer quando era miúdo.

A Rádio Renascença (RR) descobriu uma das três funcionárias do McDonald's que dava hambúrgueres a Cristiano Ronaldo. Numa entrevista recente à televisão britânica ITV, o jogador português recordou os tempos difíceis que atravessou, quando se mudou para Lisboa com 12 anos. Longe da famílias e sem recursos, CR7 recorria ao McDonald's, próximo de Alvalade, onde algumas funcionárias lhe davam hambúrgueres que sobravam.

"Quando era miúdo, com uns 12 anos, não tínhamos dinheiro. E vivíamos juntamente com outros jovens jogadores provenientes de outras zonas do país. Era um período complicado, sem a família por perto. Tínhamos fome e havia um McDonald's por perto. Pedíamos os hambúrgueres que sobravam e uma senhora chamada Edna, mais outras duas raparigas, davam aquilo que sobrava. Espero que esta entrevista ajude a encontrá-las. Queria convidá-las a jantar comigo, em Turim ou em Lisboa. Quero poder devolver aquilo que fizeram por mim. Nunca me esqueci desse momento", disse CR7, lançando, deste modo, um desafio para uma busca pelas funcionárias.

A RR encontrou Paula Leça. "Apareciam à frente do quiosque, como quem não quer a coisa, e, quando havia hambúrgueres a mais, a nossa gerente dava autorização para os ceder. Um deles era o Cristiano Ronaldo, que por acaso era o mais tímido. Era assim que acontecia quase todas as noites da semana", contou a ex-funcionária, recordando Cristiano Ronaldo como "um dos mais tímidos" do grupo de jovens: "Ele nem sempre era o que pedia. Ficava, até, para trás.

Ouvir o próprio Ronaldo a tornar pública a história provocou-lhe sorrisos numa "viagem no tempo", revelando que já tinha falado nisso ao filho dela. "Ainda estou a achar graça. Já tinha contado ao meu filho, que achava que era mentira, porque a mãe dele nunca na vida poderia ter dado um hambúrguer ao Cristiano Ronaldo. O meu marido já sabia, foi algumas vezes buscar-me lá à noite e também viu. É engraçado que se volte atrás no tempo. Mostra a humildade dele", confessou Paula Leça, que perdeu o rasto da supervisora Edna, a gerente e a única de cujo nome o jogador se lembrava.

Sobre o convite de Ronaldo para jantar, se "vier o convite", lá está com certeza.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG