Os números que condenam este Benfica de Rui Vitória

Derrota em Portimão voltou a abrir a crise na Luz, onde se vive uma das piores épocas da década

O futuro de Rui Vitória no Benfica volta a estar em equação, depois da derrota frente ao Portimonense que fez os adeptos acenarem de novo os lenços brancos ao treinador encarnado.

A situação das águias no campeonato ficou ainda mais complicada e pode piorar esta quinta-feira, caso FC Porto e Sporting vençam os respetivos jogos da 15.ª jornada. O Benfica, que já caiu para terceiro lugar, pode mesmo acabar a ronda em quarto, a sete pontos da liderança.

Os números castigam esta temporada da equipa de Rui Vitória como uma das piores dos últimos anos para o Benfica no campeonato. A derrota em Portimão foi a terceira na prova, à 15.ª jornada, o que iguala o pior registo das últimas oito épocas, que já pertencia a Rui Vitória, em 2015/16, numa época em que os encarnados chegaram a esta fase da Liga em terceiro lugar, a quatro pontos do Sporting (tendo depois conquistado o título).

Para encontrar um maior número de derrotas das águias à jornada 15 deve recuar-se até 2010/11, segunda época de Jorge Jesus no Benfica: quatro, com a equipa em segundo lugar, a oito pontos do FC Porto de André Villas-Boas, mas com mais um ponto do que agora (33 contra os atuais 32).

De resto, a pontuação atual do Benfica é a pior desde os tempos do técnico espanhol Quique Flores, que à jornada 15 da época 2008/09 somava apenas 30 pontos ao comando da equipa da Luz.

Outro registo elucidativo sobre a má campanha dos encarnados nesta Liga diz respeito aos golos sofridos: 15 nesta altura, o que significa a pior defesa em 14 anos, desde os tempos do técnico italiano Giovanni Trapattoni, em 2004/05, numa época que terminou em festa na Luz, com um título que pôs fim a um jejum de 11 anos.

A luz de Vieira que salvou Vitória em novembro

Rui Vitória, recorde-se, já esteve perto da saída do Benfica, esta época, após a goleada sofrida diante do Bayern de Munique para a Liga os Campeões, mas o presidente Luís Filipe Vieira resolveu então segurar o treinador, após um volte-face noturno assumido pelo dirigente. "Não vou esconder que ainda ontem falámos na possibilidade de ele [Rui Vitória] sair. Ontem saí daqui com determinado compromisso, mas tive um "feeling", uma luz", referiu então Vieira, a 29 de novembro.

Pouco mais de um mês depois, a contestação em volta do treinador volta a aumentar de tom. A série de sete triunfos consecutivos que o Benfica arrancou depois desse volte-face de Vieira em relação ao treinador terminou nesta transição de ano, com um empate na Vila das Aves a fechar 2018 e a derrota em Portimão a abrir 2019.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.