João Sousa admite ter faltado "intensidade e frescura física" contra Nishikori

O tenista português perdeu frente a Kei Nishikori na terceira ronda do Open da Austrália, primeiro 'Grand slam' da temporada, que decorre em Melbourne Park

"Infelizmente não consegui vencer o encontro de hoje [madrugada de sábado]. Depois de um primeiro 'set' de muito bom nível, não consegui manter a mesma intensidade e frescura física que gostaria, e daí ter perdido o encontro", justificou o vimaranense, 44.º colocado no 'ranking' ATP.

Aquele que foi o terceiro confronto direto entre os dois ficou resolvido em pouco mais de duas horas, pelos parciais de 7-6 (8-6), 6-1 e 6-2, favorável ao japonês e número nove da hierarquia mundial, já depois de Sousa ter pedido assistência em 'court', na sequência de algumas queixas físicas na zona da anca esquerda.

"Ele esteve muito bem a todos os níveis, foi melhor do que eu e mereceu a vitória", reconheceu o minhoto, que, pela terceira vez na carreira, foi travado na terceira ronda do 'major' dos Antípodas, depois de 2015 e 2016.

Apesar da derrota, Sousa garantiu o regresso ao top-40 do 'ranking' mundial e um prémio na ordem dos 135 mil euros, só na competição de singulares.

O próximo duelo do português é já no domingo, na vertente de pares, na companhia do argentino Leonardo Mayer frente à dupla Maximo Gonzalez/Nicolas Jarry, contra a qual vão discutir a qualificação para os quartos de final.

Exclusivos

Premium

Flamengo-Grémio

Jesus transporta sonho da Champions para a Libertadores

O treinador português sempre disse que tinha o sonho de um dia conquistar a Liga dos Campeões. Tem agora a oportunidade de fazer história levando o Flamengo à final da Taça Libertadores para se poder coroar campeão da América do Sul. O Rio de Janeiro está em ebulição e uma vitória sobre o Grémio irá colocar o Mister no patamar de herói.