Morreu em campo dias depois de ser aconselhado a deixar de jogar

Burundi chora morte em campo de Paty Fary, a menos de dois meses da Taça das Nações Africanas. Jogador tinha sido diagnosticado com problema cardíaco dias antes de morrer.

A pouco mais de 50 dias da realização da Taça das Nações Africanas, o Burundi, que participará pela primeira vez nesta competição, recebeu a trágica notícia da morte do internacional Papy Faty. O jogador, de 28 anos, morreu em campo num jogo dos Chiefs frente ao Green Mamba, vítima de um enfarte, na quinta-feira, dia 25 de abril.

O mais insólito é que Faty, atualmente ao serviço do Malanti Chiefs, da Suazilândia, tinha sido avisado pelo médico que tinha um problema cardíaco e podia morrer em campo.

Ainda mais incrível: o jogador tinha dado uma entrevista na véspera, publicada no jornal Soccer Laduma, na qual assumia ter sido aconselhado pelos médicos a deixar o futebol. "O médico disse que eu podia morrer", era o título.

Isto um dia antes de ele voltar a entrar num relvado e morrer.

Papy Faty representou clubes europeus, como o Trabzonspor da Turquia e o Maastricht da Holanda.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG