Leão falha assalto ao terceiro lugar na grande noite de Charles

O Sporting empatou (0-0) com o Marítimo numa noite em que valeu aos insulares a grande exibição do seu guarda-redes e em que o treinador Marcel Keizer foi expulso. Igualdade deixa os leões a três pontos do Sp. Braga, que está no terceiro lugar.

O Sporting empatou sem golos com o Marítimo, na Madeira, e perdeu uma grande oportunidade para se aproximar do Sp. Braga e do terceiro lugar - a diferença é agora de três pontos, e em caso de vitória seria apenas de um. Foi uma grande noite do guarda-redes Charles, que negou várias vezes o golo a um leão que mostrou mais uma vez que tem problemas nos jogos fora de casa - longe de Alvalade apenas conseguiu vencer quatro vezes.

Este jogo tinha uma curiosidade a rodeá-lo. A última visita do Sporting à Madeira tinha sido em maio do ano passado, na última jornada, desafio que os leões perderam por 2-1 e deixaram fugir o terceiro lugar, acontecimento que precipitou dois dias depois aquele que foi um dos episódios mais negros da história do clube, com o ataque de um grupo de adeptos à Academia de Alcochete. Do onze que esteve presente nesse jogo de má memória estiveram esta segunda-feira em campo quatro jogadores: Coates, Bruno Fernandes, Bas Dost e Acuña.

Keizer começou o jogo com esquema tático de apenas três defesas, mas voltou rapidamente ao 4X3X3. Em relação ao jogo com o Villarreal, o treinador holandês fez apenas duas alterações: Renan na baliza no lugar de Salin e Acuña no lado esquerdo em vez de Jefferson. Do lado do Marítimo, Petit apostou no mesmo onze que na última jornada bateu o Belenenses.

O jogo tinha começado há cinco minutos e Bruno Fernandes deixava o primeiro aviso num remate de longe, que obrigou Charles a uma defesa apertada. Era uma partida especial para o capitão da equipa leonina, pois caso marcasse entrava para a história do clube como o médio com mais golos apontados numa só época, superando os 22 de António Oliveira.

O Sporting com mais posse de bola e a sair em transições; o Marítimo a tentar arrancar rápidos contra ataques na tentativa de explorar a posição e a velocidade do avançado brasileiro Getterson. Foi assim em quase toda a primeira parte. Aos 22', o banco dos leões apanhou um valente susto, quando Getterson (18 anos) surgiu na área em boa posição para fuzilar as redes de Renan, mas atirou ao lado.

A equipa de Keizer respondeu logo a seguir (25') na melhor oportunidade de todo o primeiro tempo. Acuña centrou do lado esquerdo e Bas Dost surgiu em boa posição, valendo uma grande intervenção do guarda-redes Charles a evitar que o marcador funcionasse pela primeira vez.

O treinador leonino mexeu na equipa logo após o intervalo, lançando Doumbia e Raphinha para os lugares de Borja e Gudelj (estavam amarelados), alterações que mexeram na disposição tática da equipa, com Acuña a recuar para defesa esquerdo e Diaby a fixar-se mais como ala no mesmo corredor.

O Sporting entrou a todo o gás e aos 47' Diaby teve uma boa oportunidade, mas Charles defendeu para canto. O Marítimo teve uma reação momentânia, mas o sinal mais continuou do lado dos leões, com Raphinha em destaque nas subidas pelo lado direito a arrancar centros para a área na tentativa de encontrar Bas Dost. A equipa de Petit começava a sentir muitas dificuldades e os lances de perigo junto da baliza de Charles começaram a surgir com frequência.

O Marítimo conseguia a espaços sacudir a pressão e, aos 63', esteve muito perto do golo. Edgar Costa rematou cruzado, Renan defendeu de forma apertada, mas na recarga Getterson atirou ao lado. O jogo começou numa fase mais partida, mas jogado a alta velocidade. E Bruno Fernandes por pouco não bateu o recorde de António Oliveira, num livre direto que passou a centímetros da baliza dos insulares.

Os leões voltaram a ter o domínio do jogo e no espaço de três minutos criaram duas grandes oportunidades. Ambas negadas pelo guarda-redes Charles. Aos 76', o guarda-redes brasileiro do Marítimo impediu um golo de cabeça de Raphinha e quase logo a seguir travou o remate de Bruno Fernandes.

Aos 80', Marcel Keizer arriscou tudo com a entrada de mais um avançado, Luiz Phellype, para o lugar de Wendel. Foi um final eletrizante dos leões, que contudo não conseguiram marcar e ainda viram Coates ser expulso na compensação. Aliás, os últimos minutos foram bem quentinhos e marcados por alguma confusão e com o árbitro Tiago Martins a expulsar também o treinador Marcel Keizer - foi a primeira expulsão da carreira do técnico holandês.

A FIGURA: CHARLES

Há dias assim, em que um guarda-redes engata e é impossível de o bater. Se o Marítimo conseguiu somar um ponto frente ao Sporting deve-o ao guardião brasileiro, que esteve intransponível. Começou o seu festival de defesas ainda na primeira parte, logo aos cinco minutos, ao travar uma bomba de Bruno Fernandes. Depois, ainda no primeiro tempo, foi determinante numa intervenção de Bas Dost. O melhor estava guardado para a segunda parte, e com destaque para duas defesas impressionantes no espaço de três minutos. Primeiro num cabeceamento de Raphinha e logo a seguir a impedir o 22.º golo de Bruno Fernandes esta temporada, naquela que o próprio definiu no final como a defesa mais difícil. Um único senão: abusou na perda de tempo e no final muito criticado por Bruno Fernandes: "positivo no guarda-redes do Marítimo foi a perda de tempo."

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio do Marítimo, no Funchal.

Marítimo - Sporting, 0-0.

Marítimo: Charles, Nanu, Zainadine, Douglas Grolli, Rúben Ferreira, René Santos, Pelágio (Fabrício, 61), Vukovic, Edgar Costa, Barrera (Correa, 68) e Getterson (Joel, 78).

Treinador: Petit.

Sporting: Renan Ribeiro, Ilori, Coates, Borja (Raphinha, 46), Ristovski, Gudelj (Doumbia, 46), Wendel (Luiz Phellype, 80), Bruno Fernandes, Diaby, Acuña e Bas Dost.

Treinador: Marcel Keizer.

Árbitro: Tiago Martins (AF Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Barrera (29), Borja (38), Gudelj (39), Edgar Costa (45+2), Coates (51 e 90+3), Getterson (66), Rúben Ferreira (66), Correa (72) e Acuña (90+5). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Coates (90+3).

Assistência: Cerca de 9.500 espetadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG