Marc Márquez sagra-se pentacampeão e desloca o ombro nos festejos

O espanhol Marc Márquez conquistou hoje o sétimo título mundial, quinto em MotoGP, após vencer o Grande Prémio do Japão, e deslocou um ombro durante a volta de consagração ao circuito de Motegi

Marc Márquez (Honda) beneficiou de uma queda do italiano Andrea Dovizioso (Ducati) a duas voltas do final para cortar a meta isolado, com 1,573 segundos de vantagem sobre Cal Crutchlow (Honda) e 1,720s sobre o espanhol Alex Rins (Suzuki). O quarto lugar do italiano Valentino Rossi (Yamaha) entregou o título mundial ao espanhol, quando ficam a faltar três corridas para o final do campeonato.

Márquez tem agora 296 pontos, mais 96 do que Dovizioso, que ainda terminou na 18.ª posição, ficando a zeros. "Estou muito feliz. Depois do arranque do campeonato, já imaginava que podia terminar assim. A diferença é conquistá-lo logo à primeira oportunidade", frisou o piloto catalão.

Márquez acabou por deslocar um ombro depois de cortar a meta, ao cumprimentar o piloto britânico Scott Redding. "Em dezembro, será altura de ir retocar a chapa e pintura", brincou, confirmando que terá de se submeter a uma cirurgia para corrigir o problema no final da época.

O piloto de Cervera acabou por confirmar o título em casa da sua equipa, a Honda, pela terceira vez. Já em 2014 e 2016 se sagrou campeão no Twin Ring de Motegi. Marc Márquez saiu da sexta posição da grelha, mas na primeira curva era já terceiro, para se colar ao líder Andrea Dovizioso ainda na primeira volta, lugar que perdeu momentaneamente para o britânico Cal Crutchlow (Honda).

Contudo, voltou a colar-se a Dovizioso, atacando a liderança pela primeira vez a 11 voltas do final. Mas um erro na última curva custou-lhe o primeiro lugar. A quatro voltas do fim voltou a ultrapassar o italiano da Ducati, que sentiu, então, muitas dificuldades para acompanhar o ritmo do espanhol. Até que, a duas voltas da bandeirada de xadrez, Dovizioso perdeu o controlo da frente da sua Ducati e terminou na gravilha.

Márquez cortou a meta isolado, seguido de Crutchlow e Rins. Andrea Dovizioso cruzou a meta no 18.º lugar, já fora dos pontos. "Foi uma pena, pois merecia estar no pódio", comentou o pentacampeão.

Marc Márquez tornou-se, assim, o piloto mais novo de sempre a conquistar cinco títulos na classe rainha, com 25 anos e 246 dias.

Em dez anos de Mundial (a estreia aconteceu no GP de Portugal de 2008) soma sete títulos. Desde que conseguiu a primeira vitória, em 2010, somou sempre pelo menos cinco em cada época, feito único nos 70 anos do campeonato do mundo de velocidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG