Liverpool contrata Alisson e bate recorde do mundo

O internacional brasileiro torna-se o mais caro guarda-redes da história do futebol: 75 milhões de euros

O Liverpool anunciou esta quinta-feira a contratação de Alisson Becker, titular da baliza da seleção brasileira, que passa a ser o guarda-redes mais caro da história do futebol, pois o clube inglês pagou 75 milhões de euros à Roma.

Aos 25 anos, o guarda-redes assinou contrato válido por seis temporadas e, depois de ter sido aprovado nos exames médicos, Alisson fez questão de expressar a sua felicidade por este novo desafio na sua carreira. "Vestir esta prestigiada camisola é um sonho tornado realidade, ainda param mais por se tratar de um clube habituado a ganhar", afirmou, ao site oficial do Liverpool, o brasileiro que é irmão do guarda-redes do Belenenses, Muriel Becker.

Alisson garantiu ainda tratar-se do "maior desafio" da sua vida e da carreira, deixando desde logo uma certeza: "Podem ter a certeza que darei tudo pelo Liverpool".

O guarda-redes foi formado no Internacional de Porto Alegre, tendo se mudado para a Roma em 2016, por oito milhões de euros, uma verba pulvorizada com a sua mudança para o Liverpool.

Em Anfield, Alisson terá a concorrência do alemão Loris Karius, que vive momentos complicados no clube desde a última final da Liga dos Campeões, perdida para o Real Madrid (1-3), na qual foi responsável por dois golos sofridos, que mais tarde foram explicados com uma alegada lesão na cabeça que durante a partida.

No Mundial 2018, Alisson Becker foi o dono da baliza da seleção brasileira nos cinco jogos que disputou, tendo relegado para o banco de suplentes o ex-benfiquista Ederson Moraes, que agora será seu rival na Premier League, uma vez que é o dono da baliza do campeão Manchester City.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.