Seferovic: "Quero marcar sempre que jogo"

O avançado Haris Seferovic disse este sábado que vai "dar o melhor" para ajudar a Suíça a conseguir o terceiro lugar na Liga das Nações, no domingo, perante a Inglaterra, com ou sem golos.

O jogador do Benfica realçou que a formação helvética está pronta para reagir à derrota de quarta-feira na meia-final com Portugal, no Porto (3-1), apesar de ter noção de que os ingleses serão um "osso duro de roer", em Guimarães.

"A Inglaterra é uma excelente seleção, com jogadores de excelente qualidade. Vamos ter de dar o melhor de nós para conseguir o terceiro lugar", disse, na conferência de antevisão à partida marcada para as 14.00, no Estádio D. Afonso Henriques.

Internacional pela Suíça em 60 ocasiões, com 17 golos marcados, o ponta de lança lembrou que a seleção alpina provou ser capaz de se bater em "pé de igualdade" com os britânicos no último jogo entre as duas equipas - um particular em setembro de 2018, que a Inglaterra venceu por 1-0, em Leicester. "Temos os nossos pontos fortes, tal como a Inglaterra. Isso foi visível nesse jogo", explicou.

Seferovic ajudou o Benfica a vencer a última edição da I Liga portuguesa com 23 golos (melhor marcador), um deles apontado no D. Afonso Henriques, frente ao Vitória (triunfo encarnado por 1-0). Ainda com esse jogo na memória, o futebolista disse que, independentemente de marcar ou não, o "mais importante" é a Suíça ganhar. "Quero marcar sempre que jogo, mas o que interessa é o sucesso da equipa. Se a equipa vencer e eu não marcar, tudo está bem. Se eu marcar, melhor ainda", disse.

O avançado esteve acompanhado, na sala de imprensa, pelo selecionador, Vladimir Petkovic, e pelo defesa-central Manuel Akanji, que também jogou os 90 minutos frente a Portugal.

Internacional em 16 ocasiões, o jogador do Borussia de Dortmund, de 23 anos, sublinhou também que a Suíça, para conseguir o terceiro lugar, vai tentar corrigir os erros cometidos no último encontro disputado com a Inglaterra, que considerou ser uma "das cinco melhores seleções do mundo".

Inglaterra não quer repetir erros das meias-finais

O selecionador Gareth Southgate reconheceu este sábado que a Inglaterra não pode cometer os erros de quinta-feira, frente à Holanda, se quiser derrotar a Suíça, na atribuição dos terceiro e quarto lugares da Liga das Nações.

Depois de ter perdido a meia-final por 3-1, após um prolongamento em que os dois golos decisivos da laranja mecânica surgiram de falhas defensivas de John Stones e de Ross Barkley, a seleção inglesa joga novamente em Guimarães no domingo e pretende, nesse desafio, mostrar mais acerto defensivo para dar um triunfo aos cerca de 11.000 adeptos britânicos esperados no Estádio D. Afonso Henriques.

"Perdemos um jogo muito importante e temos cá milhares de adeptos. Temos de garantir que o nosso desempenho lhes dá algo em troca. Queremos evitar os erros cometidos e estar a um nível muito elevado", disse o treinador, de 48 anos, na conferência de antevisão à partida marcada para as 14.00.

Gareth Southgate assumiu-se "desiludido" com o desfecho da meia-final, tendo em conta a ambição de vencer o troféu à partida para a fase final - a única competição vencida pelos ingleses foi o mundial, em 1966 -, mas frisou que os seus pupilos estão à mesma "motivados" para defrontarem a Suíça, uma formação, a seu ver, muito bem treinada por Vladimir Petkovic.

"É uma equipa muito estável na defesa. Tem alguns jogadores-chave, como o Shaqiri. O seu treinador tem feito um trabalho brilhante. Afastaram a Bélgica na fase de grupos [da Liga das Nações] e são um grande desafio para nós", observou, acerca da seleção helvética, que perdeu a outra meia-final da prova, com Portugal (3-1).

Acompanhado na conferência de imprensa por Joe Gómez, defesa-central de 22 anos que venceu recentemente a Liga dos Campeões pelo Liverpool, o técnico confirmou que o onze para domingo vai mudar, tendo afirmado que o defesa Ben Chilwell, o médio Jordan Henderson e o avançado Marcus Rashford estão em dúvida.

Apesar de ter reconhecido os erros frente à Holanda, Gareth Southgate lembrou que a Inglaterra soube controlar esse jogo em alguns momentos, nomeadamente o início da segunda parte, e anular o futebol ofensivo holandês em grande parte do jogo.

O antigo defesa-central, este sábado ao comando da seleção dos três leões, disse ainda que o golo de Jesse Lingard anulado pelo videoárbitro, que daria o 2-1 à sua equipa, aos 83 minutos, foi bem ajuizado, apesar de, pessoalmente, "preferir que qualquer decisão da equipa de arbitragem seja final", sem auxílio tecnológico.

O treinador realçou ainda que a fase final da Liga das Nações é uma oportunidade para "cimentar" a evolução da sua seleção, à semelhança do que foi o mundial de 2018, na Rússia - a Inglaterra ficou no quarto lugar.

A Inglaterra defronta a Suíça, em jogo de atribuição dos terceiro e quarto lugares da Liga das Nações, às 14:00 de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem do romeno Ovidiu Alin Hategan.

Exclusivos