Sporting vence em Chaves e sobe ao terceiro lugar

Os leões, mesmo com uma exibição q.b., venceram o Chaves por 3-1, num jogo marcado por duas expulsões (uma para cada equipa), um bis de Luiz Phellype, um grande golo de Bruno Fernandes e 11 minutos de tempo extra.

O Sporting passou no exame de Chaves e subiu ao terceiro lugar em igualdade pontual com o Sp. Braga, com um triunfo por 3-1. Foi mais um jogo em que o futebol dos leões não convenceu, mas em que o bis de Luiz Phellype e mais uma boa exibição de bruno Fernandes disfarçaram algumas lacunas.

O Sporting entrou em campo já conhecedor da derrota caseira do Sp. Braga com o FC Porto, um aliciante extra pois um triunfo permitia à equipa de Marcel Keizer igualar os minhotos no terceiro lugar. Na equipa leonina confirmou-se a titularidade de Bruno Fernandes (esteve em dúvida devido a lesão e fez o seu jogo 100 pelos leões) e o ataque entregue a Luiz Phellype perante a ausência de Bas Dost. Na equipa do Chaves, José Mota faz apenas uma alteração em relação à vitória com o Aves: Lionn deu lugar a Paulinho no lado direito da defesa.

Ficou evidente desde o apito inicial que a tendência do futebol do Sporting passava pela velocidade dos laterais e cruzamentos para a área, na tentativa de servir Luiz Phellype. E foi assim que nasceu o primeiro golo dos leões. A jogada começou numa combinação entre Bruno Fernandes e Ristovski, com o defesa macedónio a cruzar para a área para Luiz Phellype marcar. Foi o primeiro golo do avançado brasileiro com a camisola dos leões, ele que chegou a Alvalade em janeiro.

O Sporting foi melhor do que Desportivo de Chaves no primeiro tempo. Mais posse de bola (61% contra 39%), mais remates (oito contra quatro), mas sem criar muitas oportunidades de golo iminente. A defesa não esteve assim tão bem, sobretudo Coates, mas a verdade é que o Chaves pouco ou nada ameaçou as redes de Renan, apesar de ter ganho mais cantos. Os lances de maior perigo foram um livre direto de Bruno Fernandes que bateu na barreira e passou muito perto do poste. E uma bomba de Wendel por cima perto do intervalo.

Na segunda parte, logo aos 51 minutos, Jefferson fez uma falta (desnecessária) sobre Gudelj, viu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Se as coisas não estavam fáceis para a equipa de José Mota, com menos um elemento tudo podia complicar-se, porque o Sporting na teoria podia criar mais desequilíbrios.

Mas não foi bem isso a que se assistiu. No seguimento de um livre, André Luís esteve perto do empate aos 56', valendo a boa intervenção de Renan. Quase logo a seguir um lance caricato, com uma grande discussão entre dois jogadores... do Chaves, Bressan e Luís Martins, que até levou à intervenção do árbitro. E depois, aos 60', o golo da igualdade dos transmontanos. Uma boa jogada de ataque da equipa, com Gallo a isolar com classe André Luis, que frente a Renan não perdoou.

Marcel Keizer não gostava do que via e em poucos minutos fez duas substituições, lançando Doumbia e Jovane Cabral para os lugares de Gudelj e Borja. Pelo meio, Bruno Fernandes num remate de longe, obrigou António Filipe a uma grande defesa. O guardião do Chaves lesionou-se pouco depois e foi substituído por Ricardo.

Mas quem tem Bruno Fernandes, mesmo limitado e regressado de lesão, arrisca-se a conseguir resolver um jogo num lance individual. E aos 80', o capitão do Sporting fez mais uma obra de arte, um golaço num remate de primeira à entrada da área após assistência de Acuña. Foi o 14.º golo de Bruno Fernandes esta época no campeonato (igualou Bas Dost) e o 25.º da temporada. Fantástico!

O Sporting ficou reduzido a 10 aos 88 minutos. Ristovski fez falta sobre Niltinho e depois de consultar o VAR e rever o lance, o árbitro decidiu expulsar o jogador leonino. As duas equipas ficaram com as forças equlibradas (10 contra 10) para os últimos minutos da partida. Com tantas paragens nesta segunda parte, o tempo de compensação chegou sem surpresa aos 11 minutos. Pouco depois de um sururu entre Bruno Fernandes e Niltinho, que custou um amarelo ao jogador do Chaves, Luiz Phellype bisou e arrumou de vez a questão a favor dos leões.

A FIGURA: BRUNO FERNANDES

No dia em que completou 100 jogos com a camisola do Sporting, e mesmo jogando algo limitado (atuou com uma coxa elástica) pois regressava de uma lesão, o capitão leonino, para não variar, voltou a ser a figura da equipa. Não foi o jogador determinante que habitualmente costuma ser, mas foi importante a definir o jogo da equipa e nos passes. Depois, aquele golo aos 80' é mais uma obra de arte, o seu 14.º golo no campeonato e o 25.ª da época. Um número formidável para um jogador que atua como médio. Ainda esteve no lance do primeiro, quando soltou a bola para o cruzamento de Ristovski.

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira, em Chaves.

Desportivo de Chaves-Sporting, 1-3.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores: 0-1, Luiz Phellype, 24 minutos; 1-1, André Luís, 60; 1-2, Bruno Fernandes, 80 e 1-3, Luiz Phellype, 90+11.

Desportivo de Chaves: António Filipe (Ricardo, 74), Paulinho, Maras, Gastón Campi, Luís Martins, Jefferson (Ghazaryan, 46), Bruno Gallo, Bressan, Rúben Macedo (Luther Singh, 60), William e André Luís (Niltinho, 85).

Treinador: José Mota.

Sporting: Renan Ribeiro, Ristovski, Coates, Mathieu, Cristián Borja (Jovane, 73), Gudelj (Doumbia, 66), Wendel, Bruno Fernandes, Acuña, Raphinha (Bruno Gaspar, 90+4) e Luiz Phellype.

Treinador: Marcel Keizer.

Árbitro: Manuel Mota (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Jefferson (34 e 52), Gudelj (38), André Luís (40), Niltinho (90+8), Bruno Gaspar (90+9) e Luís Martins (90+9). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Jefferson (52). Cartão vermelho direto para Ristovski (87).

Assistência: 5.600 espetadores.

Exclusivos