Lakers vencem Miami Heat e estão a um triunfo do título da NBA

A equipa de Los Angeles lidera a final por 3-1 e na sexta-feira pode igualar os 17 anéis de campeão dos Boston Celtics.

Os Los Angeles Lakers estão a uma vitória de se sagrarem campeões da NBA, depois de na madrugada desta quarta-feira terem vencido os Miami Heat por 102-96, no quarto jogo da final da liga profissional americana de basquetebol. Os californianos vencem agora por 3-1.

Depois do triunfo no terceiro jogo, relançando a emoção da final, os Miami Heat, que já puderam contar com Bam Adebayo mas não com o base esloveno Goran Dragic, que ainda esteve fora, deram luta até perto do final, contudo os Lakers acabaram por se superiorizar.

O conjunto de Frank Vogel decidiu o jogo com um parcial de 10-3, com cinco pontos (3+2) de Kentavious Caldwell-Pope, dois de Rajon Rondo e três de Anthony Davis, que passou o resultado de 90-88 para 100-91, com 39,5 segundos para jogar.

Em termos globais, LeBron James, com 28 pontos, 12 ressaltos e oito assistências, foi o melhor dos Lakers, apesar de seis turnovers e de, nos 38.38 minutos em que esteve em campo, a equipa ter sofrido mais dois pontos do que os que marcou.

Anthony Davis, com 22 pontos e nove ressaltos, também teve atuação positiva, recuperando de um terceiro jogo falhado, enquanto Caldwell-Pope foi o melhor da segunda linha da equipa de Los Angeles, com 15 pontos, incluindo três triplos, e excelente trabalho na defesa.

Danny Green, com dez pontos, e Markieff Morris e Kyle Kuzma, ambos com nove, também foram importantes, tal como Rondo, pelos sete ressaltos e pelas cinco assistências.

Nos Miami Heat, Jimmy Butler quase fez novo triplo duplo (22 pontos, dez ressaltos e nove assistências), mas esteve, em todos os aspetos, muito longe da exibição estratosférica do terceiro jogo, enquanto Kelly Olynyk baixou de 17 para apenas quatro pontos neste quarto jogo da final.

O rookie Tyler Herro, com 21 pontos e sete ressaltos, acabou por ser o elemento em maior destaque, enquanto Duncan Robinson adicionou 17 pontos, e o regressado Adebayo, 15 e sete ressaltos.

Coletivamente, e não só por mérito da defesa dos Lakers, os Heat não estiveram bem a lançar - 42,7% nos tiros de campo (32 em 75), com 34,4% nos triplos (11 em 32) -, num dia fraco de Kendrick Nunn (dois em 11).

O encontro começou equilibrado, com o regressado Adebayo a marcar o primeiro cesto e Butler a manter-se inspirado, nos Heat, face a uns californianos com Caldwell-Pope em grande (dez pontos nos primeiros nove minutos).

Os Lakers conseguiram sete pontos de vantagem (20-27), mas Butler reduziu em cima da buzina para o fim do primeiro período (22-27) e o segundo arrancou com um parcial de 12-2 dos Heat, que deram a volta ao marcador (34-29).

Até ao intervalo, a diferença baixou, mas foi o cinco de Frank Vogel a fechar na frente, com dois pontos à maior (47-49), apesar de a última palavra ter pertencido a Herro.

Os Heat voltaram ao comando no início da segunda parte (52-49 e 54-52), mas os Lakers voltaram ao comando, num terceiro período em que James e Davis, depois de uma primeira parte apagada, marcaram, em conjunto, 18 dos 26 pontos da equipa.

A formação de LA só conseguiu, porém, entrar para o quarto período com cinco pontos à maior (70-75) e, com 6.27 minutos para jogar, Butler logrou empatar o jogo (83-83).

LeBron James apareceu nessa fase, com um tiro de campo e cinco lances livres, muitos conquistados após sucessivos ressaltos ofensivos, e a diferença chegou a cinco (83-88 e 85-90), só que os Heat não desistiram a colocaram-se a dois (88-90).

Faltavam 3.39 minutos e tudo estava em aberto, mas, na parte final, os Lakers prevaleceram, com Caldwell-Pope em grande.

A final da NBA prossegue na sexta-feira em Orlando, onde os Lakers só precisam de uma vitória para igualar os 17 títulos dos Boston Celtics na liderança do ranking e arrebatar, no ano da morte de Kobe Bryant, um anel de campeão que lhes foge desde 2010.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG