Zidane já decidiu que quer o emprego de José Mourinho

L'Equipe avança que o treinador tricampeão europeu tem muito interesse em treinar na Premier League e que o banco do Manchester United é o que lhes suscita maior entusiasmo por ser um admirador de Alex Ferguson

Zinedine Zidane está parado há dois meses, depois de ter deixado voluntariamente o Real Madrid, clube pelo qual se sagrou tricampeão europeu, mas já tem o seu objetivo bem definido.

Segundo o L'Equipe, o mais prestigiado jornal desportivo francês, Zidane, que resolveu tirar um ano sabático, já definiu o seu próximo passo; a Premier League e o Manchester United, clube que é, atualmente, treinado por José Mourinho, com quem se cruzou na capital espanhola.


O L'Equipe lembra dois factos que podem levar o francês a Old Trafford; José Mourinho tem contrato 'apenas' até 2020, o que pode facilitar um acordo dentro de um ano, e, recentemente, tem mostrado publicamente as suas divergências quanto à intervenção do clube no mercado de transferências.

Na peça pode ler-se que Zinedine Zidane tem estabelecido que um dia vai treinar a seleção francesa, pela qual se sagrou campeão mundial em 1998, mas antes quer a Premier League e o Manchester United, devendo-se este desejo ao facto de ser confesso admirador de Sir Alex Ferguson, mais bem sucedido treinador da história do Manchester United.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.