Ben King vence etapa após muito sofrimento e Simon Yates é o novo líder da Vuelta

"Nunca sofri tanto na minha vida como hoje. A minha cabeça ainda está um bocado enevoada, mas tenho a certeza de que em breve vou ter a noção do feito que isto foi", disse o americano vencedor da tirada

O norte-americano Ben King teve um domingo de muito sofrimento até vencer a 9.ª etapa da Volta a Espanha em bicicleta. Foi o segundo triunfo do ciclista da Dimenson Data na presente edição, com o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) a tornar-se o novo líder da classificação geral.

King, que já tinha vencido no quarto dia, cumpriu os 200,8 quilómetros entre Talavera de la Reina e o alto de La Covatilla em 5:30.38 horas, vencendo com 48 segundos de vantagem sobre o holandês Bauke Mollema (Trek-Segafredo), segundo, e 2.38 minutos para o belga Dylan Teuns (BMC), terceiro.

Aos 29 anos, e depois de triunfar na Sierra de la Alfaguara, também isolado, a fuga voltou a 'render' para King, que beneficiou de uma fuga numerosa para se posicionar da melhor forma na dura subida até à meta.

"Nunca sofri tanto na minha vida como hoje. A minha cabeça ainda está um bocado enevoada, mas tenho a certeza de que em breve vou ter a noção do feito que isto foi", disse, no final da etapa, um estafado King, cujo sofrimento era visível na cara desde os últimos quilómetros até bem para lá do final da tirada.

O norte-americano tinha como objetivo vencer uma etapa numa 'grande volta', algo que o campeão de fundo dos Estados Unidos em 2010 nunca tinha conseguido.

"Vencer uma etapa foi um sonho realizado. Tinha como objetivo de carreira vencer numa 'grande volta', e hoje foi bom poder mostrar que a primeira vitória não foi obra do acaso", desabafou o norte-americano.

Mais atrás, na luta pela geral, a quebra esperada do francês Rudy Molard (Groupama-FDJ), deixando a porta aberta para um novo líder.

Um ataque do holandês Wilco Kelderman (Sunweb) 'partiu' o grupo dos favoritos, com vários a perderem o contacto com a frente, enquanto o segundo à geral, Alejandro Valverde, lutava para se manter a par do grupo, com o alemão Emanuel Buchmann (BORA-hansgrohe), à espreita da liderança da geral.

Ainda assim, o mais forte acabou por ser Yates, que esta época já liderou a Volta a Itália do sexto ao 19.º dia, fechando em nono e conseguindo a liderança com apenas um segundo de vantagem para Valverde, com Quintana a ser outro dos vencedores do dia, ao subir a tercdeiro, a 14 segundos.

Os quatro portugueses em prova tiveram hoje uma prestação de esforço, seja para os líderes de equipa, caso de Nelson Oliveira (Movistar), seja em recuperação de uma queda, como sucedeu com José Mendes.

Oliveira cortou a meta em 90.º, caindo para o 81.º posto da geral, enquanto Mendes foi 120.º e perdeu 16 posições para 83.º. Tiago Machado (Katusha Alpecin) foi 106.º e segue em 87.º na geral, enquanto José Gonçalves (Katusha Alpecin) é 114.º após ser 128.º na etapa.

Na segunda-feira, o pelotão goza do primeiro de dois dias de descanso da 'Vuelta', que retoma na terça-feira com uma ligação entre Salamanca e Fermoselle, de 177 quilómetros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".