Volta a Portugal: Raul Alarcon vence terceira etapa e assume liderança da prova

O espanhol Raul Alarcon (W52-FC Porto) venceu este sábado isolado a terceira etapa da Volta a Portugal em bicicleta, disputada entre a Sertã e Oliveira do Hospital, e assumiu a liderança da prova.

Alarcon, que venceu a prova em 2017, cumpriu os 195,3 quilómetros da tirada em 4:43.00 horas, superando em 30 segundos o segundo classificado, o seu compatriota Vicente de Mateus (Aviludo-Louletano), corredor que ocupava o segundo posto da geral à partida para a etapa e manteve-o no final desta, agora com 28 segundo de atraso para o novo comandante.

O terceiro lugar na etapa foi para Joni Brandão (Sporting-Tavira), corredor que ocupa a mesma posição da geral, a 40 segundos de Alarcon.

No domingo, corre-se a quarta etapa da prova, uma tirada que vai ligar a Guarda às Penhas da Saúde e que tinha inicialmente 171,4 quilómetros, mas que foi reduzida pela organização para os 144,3, deixando de ter a passagem da Torre, que será substituída pela subida às Penhas Douradas, voltando a corrida ao percurso original na zona de Manteigas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.