"Após a derrota com o Ajax pensei sinceramente continuar com Allegri"

O presidente da Juventus, Andrea Agnelli, também presente, confirmou que foi ele quem tomou a decisão de não continuar com o treinador Massimiliano Allegri

O treinador italiano Massimiliano Allegri anunciou este sábado que chegou a hora de se separar, "a bem", da Juventus, equipa octocampeã italiana, na qual alinham os internacionais portugueses Cristiano Ronaldo e João Cancelo.

"Conversámos, discutimos e todos deram a sua opinião sobre o futuro e o que é necessário para a Juve. O clube decidiu que o melhor é que eu não seja mais o seu treinador", disse Massimiliano Allegri, que falava durante uma conferência de imprensa realizada na presença de todos os jogadores da equipa.

O presidente da Juventus, Andrea Agnelli, também presente, confirmou que foi ele quem tomou a decisão de não continuar com Allegri, que em cinco anos conquistou cinco títulos e quatro taças de Itália, mas não conseguiu, apesar de presente em duas finais, conquistar a Liga dos Campeões."Após a derrota com o Ajax [nos quartos de final], pensei sinceramente continuar com Max. Era difícil entender se era o momento certo para encerrar um dos ciclos mais extraordinários da história da Juventus", considerou Agnelli .

O presidente da Juventus acrescentou que como líder empresarial tem que tomar decisões no momento certo e só o tempo é que irá dizer se a opção agora tomada foi a certa. "Somos todos úteis, mas ninguém é indispensável. A história do clube é sempre maior que a história de qualquer individualidade", acrescentou Andrea Agnelli, que se recusou a responder a perguntas sobre o futuro treinador da Juventus.

Massimiliano Allegri, de 51 anos, disse encarar com "naturalidade" e "tranquilidade" este momento, mas não adiantou pormenores sobre o seu futuro.

Sob o comando do treinador italiano, desde 2014, a equipa de Turim atingiu por duas vezes a final da principal prova europeia de clubes, mas saiu derrotada em ambas, em 2015, frente ao FC Barcelona, por 3-1, e em 2017, perante o Real Madrid, por 4-1.

Na edição desta temporada da Champions, a Juventus foi eliminada nos quartos-de-final pelos holandeses do Ajax, tendo empatado 1-1 em Amesterdão, no jogo da primeira mão, e perdido por 2-1 em casa, no segundo confronto, com Cristiano Ronaldo a marcar os dois golos da crónica campeã italiana.

Após a eliminação, Agnelli afirmou que a temporada seguinte da Juve seria realizada "certamente com Allegri no banco de suplentes", lembrando que o técnico ainda tinha mais um ano de contrato e que iriam ambos "conversar no fim da época", com vista a encontrar uma forma de o clube "regressar ainda mais forte".

Apesar de nunca ter falhado a conquista do título italiano, os fracassos sucessivos na Liga dos Campeões motivaram o descontentamento dos adeptos bianconeri, que também se mostraram sempre muito críticos com o estilo de jogo da equipa, considerado muito defensivo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.