Sub-19: campeões europeus recebidos em festa na chegada a Lisboa

A comitiva portuguesa foi recebida por centenas de pessoas no aeroporto Humberto Delgado. Houve saltos, cantorias e até se cantou o hino nacional

Centenas de pessoas, cerca de 300, muitas delas familiares e amigos com cachecóis, bandeiras de Portugal e camisolas da seleção nacional, receberam esta segunda-feira à noite, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, a equipa portuguesa de sub-19 que se sagrou campeã da Europa de futebol no domingo, na Finlândia.

Um dos presentes foi o pai de Francisco Trincão, um dos destaques desta seleção nacional, que se sagrou o melhor marcador do Europeu, a par de Jota, com cinco golos. "Estou muito feliz e orgulhoso por ver o meu filho campeão da Europa", disse, ainda antes dos jogadores surgirem no terminal de chegadas, fintando as notícias sobre um eventual interesse da Juventus (que este ano contratou Cristiano Ronaldo) na contratação do jogador que pertence aos quadros do Sp. Braga : "Isso é com o empresário dele. Eu só quero o melhor para o meu filho... mas adoro o Cristiano Ronaldo. Quero é que ele atinja os objetivos a que se propôs, que é chegar ao topo do futebol."

Eram 22.20 quando os jogadores surgiram no terminal de desembarque. Ao som de "campeões, campeões, nós somos campeões", Jota exibiu a taça de Campeão da Europa para delírio das centenas de pessoas, que cantavam e gritavam "Portugal, Portugal, campeões, campeões". Os jogadores responderam aos saltos e também cantaram. Tudo num clima de festa enorme. Houve ainda espaço e tempo para todos juntos entoarem o hino nacional.

O pai de Rúben Vinagre, que também esteve presente, admitiu que gostava de ter visto mais gente a receber os novos campeões da Europa. "Mereciam mais."

Depois de alguns minutos de euforia, o selecionador Hélio Sousa falou aos jornalistas. "Conseguimos escrever uma história única na Europa, pois esta seleção foi campeã da Europa de sub-17 e agora em sub-19. Fomos à procura da superação e conseguimos trazer este troféu para Portugal", referiu, deixando uma palavra aos jogadores: "Foram excelentes. Temos que agradecer também o trabalho desenvolvido pelos clubes, que nós temos potenciado na seleção. Espero que grande parte deste grupo consiga chegar à seleção A."

Hélio fez questão ainda de recordar outros antigos selecionadores: "Foi com um prazer enorme que aceitei e o convite há nove anos para ser selecionador e é um sentimento também de retribuição o que há 30 anos a Federação o professor Carlos Queiroz e Nelo Vingada nos deram este amor em representar Portugal e estamos a transmitir a estes jogadores esses valores."

Jota, que a par de Trincão foi o melhor goleador da equipa no Europeu da Finlândia, com cinco golos, também não escondeu a sua satisfação. "Já estamos juntos há muitos anos. Não foi possível vencer no ano passado, agora fomos com tudo, com todas as forças e conseguimos a vitória. Este grupo é fantástico, tem muita qualidade, trabalhou e ambicionou. Ser como Ronaldo? Quero atingir o meu patamar. Tenho como ídolos Ronaldo, Messi e Neymar. Mas sou o Jota, não sou outro", atirou.

Diogo Queirós também estava eufórico. "Esta taça pesa todo o nosso sacrifício e o nosso esforço ao longo do ano e estamos muito felizes por trazer este troféu de volta a Portugal. É a primeira vez que conseguimos este troféu e é uma alegria imensa para todos nós por termos levado Portugal a um nível muito superior. Já começámos a sonhar com o Mundial sub-20, sabemos que vamos para lá com dois troféus no nosso currículo e vamos ter de estar no nosso máximo", disse.

Esta terça-feira, ao final da manhã, os novos campeões da Europa vão ser recebidos por Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém. Logo após o jogo, o Presidente da República fez questão de enviar uma mensagem aos novos campeões, falando num "ponto alto do futebol português destes jovens que nos fazem acreditar no futuro".

A seleção portuguesa de futebol de sub-19 conquistou no domingo o título europeu do escalão, pela quarta vez, depois dos triunfos em 1961, 1994 e 1999, ao vencer a Itália, por 4-3, após prolongamento, no torneio realizado na Finlândia.

A equipa treinada por Hélio Sousa, que já tinha levado esta geração ao triunfo no Europeu de sub-17 de 2016, esteve a vencer por 2-0, com golos de João Filipe e Francisco Trincão, mas permitiu o empate, com um 'bis' do suplente Moise Kean.

No prolongamento, João Filipe colocou a seleção portuguesa em vantagem, aos 104', Gianluca Scamacca voltou a empatar, aos 108, um minuto antes de Pedro Correia decidir o encontro.

Portugal sucedeu no historial da competição à Inglaterra, que tinha batido a equipa das quinas na final do torneio de 2017, naquela que foi a sua terceira presença no encontro decisivo, depois dos desaires em 2003 e 2014 numa competição que desde 2002 passou a ser de sub-19.

Ler mais

Exclusivos