Sturaro será o 6.º italiano nos leões. Nenhum desapontou

Médio da Juventus junta-se ao compatriota Viviano no plantel de José Peseiro e a outros quatro futebolistas transalpinos que já jogaram de leão ao peito

Steafano Sturaro está prestes a tornar-se o sexto futebolista italiano da história do Sporting. Proveniente da Juventus, a título de empréstimo, vai juntar-se ao guarda-redes Emiliano Viviano às ordens de José Peseiro e a outros quatros compatriotas na lista de transalpinos que atuaram de leão ao peito.

O primeiro nativo do país da bota a vestir de verde e branco (e o único campeão...) e na I Liga foi o antigo extremo esquerdoIvone De Franceschi, que tal como Sturaro, também chegou a Alvalade por empréstimo, mas do Veneza, em 1999/00, época em que foi quebrado um jejum de 18 anos sem o título nacional. Atuou em 30 jogos, 20 enquanto titular, e apontou três golos.

15 anos depois da única época do esquerdino em Portugal, o médio Alberto Aquilani aterrou em Lisboa proveniente da Fiorentina. Viveu na sombra da dupla composta por William Carvalho e Adrien Silva e nunca se impôs como titular, mas mostrou serviço sempre que foi chamado a jogar e, em 32 encontros (metade a titular), apontou cinco golos, o que lhe confere o estatuto de melhor marcador italiano da história leonina.

Também em 2015/16, mas já com a época em andamento, foi assegurada a contratação de Ezequiel Schelotto a custo zero, depois de o lateral ter deixado o Inter de Milão. Jogou às ordens de Jorge Jesus durante duas temporadas e somou 43 partidas (38 no onze inicial), que fazem dele o futebolista transalpino com mais jogos pelo clube. Acabou por sair pela porta pequena no verão do ano passado, rumando aos ingleses do Brighton.

Precisamente para render Schelotto para o lado direito da defesa, foi contratado Cristiano Piccini, que atuou 40 vezes de leão ao peito (apenas uma como suplente utilizado) no decorrer da temporada transata, proveniente do Bétis. Ainda participou no estágio de pré-época deste verão na Suíça, mas acabou por rumar ao Valência.

Já esta temporada, Emiliano Viviano foi o escolhido, ainda por Bruno de Carvalho e com a recomendação de Sinisa Mihajlovic, para assumir a responsabilidade de substituir Rui Patrício na baliza do Sporting. Agora, ao que tudo indica Stefano Sturaro vai completar a meia dúzia.

Em relação a treinadores, Giuseppe Materazzi é para já o único. Recomendou a contratação de De Franceschi e dirigiu a equipa em seis encontros, mas acabou por ser despedido e substituído por Augusto Inácio na época do 17.º título nacional, em 1999/00. No entanto, Claudio Ranieri pode seguir-lhe as pisadas: basta que os sportinguistas votem em Pedro Madeira Rodrigues nas eleições de 8 de setembro.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.