Sturaro confirmado como reforço... mas está lesionado

Médio vai regressar a Turim para recuperar de lesão e deve regressar dentro de dois meses, anuncia o Sporting

O clube leonino oficializou o acordo com a Juventus para o empréstimo do italiano Sturaro, mas explicou que o jogador apenas deve integrar o plantel de José Peseiro dentro de um "período expectável de dois meses", devido a lesão.

O médio regressa agora a Turim para completar a recuperação, revelou o Sporting em comunicado:

"O Sporting Clube de Portugal acordou com a Juventus Football Club o empréstimo do atleta Stefano Sturaro.
Efectuados os respectivos exames pelo Departamento médico do SCP, que constatou encontrar-se o atleta ainda a recuperar de uma lesão por um período expectável de dois meses, as duas partes reconheceram conveniente que a fase final da recuperação decorra em Turim, a expensas da Juventus, regressando a Lisboa para integrar o plantel profissional do SCP após o total restabelecimento do atleta."

Stefano Sturaro, de 25 anos, foi formado no Génova e está na Juventus desde 2014/15, tendo alinhando em 19 jogos na época passada. Pela seleção italiana fez quatro encontros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.