Ferro Rodrigues quer que acabe "fase dos bons e maus sportinguistas"

Ferro não comentou a possível impugnação das eleições por parte do ex-presidente 'leonino' Bruno de Carvalho: "Não comento nada que tenha a ver com figuras do passado".

O presidente da Assembleia da República portuguesa, Ferro Rodrigues, sócio e adepto do Sporting, disse hoje esperar que tenha acabado "a fase dos bons e maus sportinguistas".

"Quero deixar uma palavra de esperança numa grande mobilização, que se continue a verificar ao longo do dia e que se batam todos os recordes. Mais importante, que todos os candidatos que tiveram a coragem de se apresentar, possam apoiar o que for eleito para que a fase dos bons e maus sportinguistas acabe e possa haver coesão e unidade no clube", afirmou nas imediações do Estádio José Alvalade, ainda na fila para votar para eleger o novo presidente do Sporting.

Ferro Rodrigues quis também endereçar uma "palavra de gratidão" aos que, "num momento muito difícil, tiveram a coragem de assumir a responsabilidade no clube e na SAD nos últimos meses".

Apesar da esperança, o responsável político frisou que o momento é ainda de "preocupação" porque "é necessário inventariar claramente a verdadeira situação, e isso vai durar alguns meses, e daí tirar consequências a curto e médio prazo".

"Acredito que pode haver união porque as pessoas têm bom senso, são todos sportinguistas que querem o bem do Sporting acima de qualquer outra coisa", disse.

Ferro Rodrigues não quis ainda comentar a possível impugnação das eleições por parte do ex-presidente 'leonino' Bruno de Carvalho: "Não comento nada que tenha a ver com figuras do passado".

Sobre a situação financeira do Sporting, notou que "tem que se saber exatamente qual é a situação".

"Há uma auditoria forense que está em curso e que vai divulgar os seus resultados. O Sporting tem a capacidade, o número de simpatizantes, três milhões, o número de sócios, pessoas espalhadas por todo o país e por tudo o mundo, capazes de responder por mais difícil que a situação seja", disse.

João Benedito (lista A), José Maria Ricciardi (B), Frederico Varandas (D), Rui Jorge Rego (E), José Dias Ferreira (F) e Fernando Tavares Pereira (G) são os seis pretendentes que se mantiveram até ao fim na corrida, após a desistência de Pedro Madeira Rodrigues (C), derrotado por Bruno de Carvalho em 2017, que se tornou apoiante de Ricciardi.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).