Sporting: Uma derrota e muito para melhorar

Depois de uma goleada com os amadores do Lancy, veio uma derrota com os profissionais do Neuchatel.

O Sporting perdeu esta sexta-feira por 2-1 com o Neuchatel Xama, em jogo de caráter particular. Montero (3') deu vantagem aos leões, porém Cicek (5') e Karlen (63') deram a volta ao marcador.

A primeira versão do Sporting de José Peseiro, como se esperava, nada teve que ver com a equipa que terminou a temporada passada. Dos titulares habituais sobrou apenas Piccini que ocupou a lateral direita. A restante equipa era feita de jogadores menos utilizados, reforços e regressos de empréstimo (Salin, Jefferson, Marcelo, André Pinto, Piccini, Petrovic, Misic, Wendel, Raphinha, Montero e Matheus Pereira).

Numa primeira parte jogada a ritmo de pré-época e perante uma equipa recém-promovida ao principal escalão do campeonato suíço, o Sporting dominou a toda a linha puxando para si a iniciativa de jogo. Ainda alguns adeptos procuravam o melhor local para ver a partida, e os leões já se adiantavam no marcador. Jefferson obrigou Walthert a defender para a frente na cobrança de um livre, e a bola sobrou para Raphinha que convidou Montero a inaugurar o marcador. Mas depressa o Neuchatel se acercou da baliza leonina e, aproveitando uma saída algo disparatada de Salin, chega ao empate por Cicek.

E ficou por aí a ação dos suíços no que diz respeito ao ataque. A partir desse momento, o jogo aconteceu num só sentido com Raphinha e Matheus Pereira como protagonistas. Os extremos mostraram um entendimento muito bom para esta altura da época e dividiram entre si as oportunidades da primeira parte. Com mobilidade, procurando sempre zonas de finalização, velocidade e técnica, os jovens foram uma dor de cabeça para os defesas contrários. Só a falta de pontaria e o guarda-redes Walthert evitaram que o jogo fosse para o intervalo com outro resultado.

Wendel sem convencer

Com a segunda parte vieram as alterações, a quebra de ritmo do jogo e o desaparecimento do Sporting dominador dos primeiros 45 minutos. O meio campo leonino não funcionava e o Neuchatel aproveitava-se disso para criar perigo. Viviano, que entrou na segunda parte, adiou o golo suíço por duas vezes. Contudo já não conseguiu fazer nada quando Karlen lhe apareceu sozinho pela frente e finalizou para o 2-1. A jogada do clube suíço iniciou-se após uma perda de bola de Wendel que voltou a não convencer.

Desta segunda parte pouco conseguida pelo Sporting salvaram-se alguns pormenores de Jovane Cabral e as defesas de Viviano. Convém contudo lembrar que a este Sporting ainda faltam jogadores como Coates, Mathieu, Acuña, Nani e Bruno Fernandes.

O Sporting volta a jogar um encontro particular já este sábado com o Nice, a partir das 18.00.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.