Sporting tenta regresso de Nani

Internacional português de 31 anos, com contrato até junho de 2019 com o Valência, tem tudo bem encaminhado para voltar ao clube onde concluiu a sua formação, mas a negociação ainda não está concluída

Nani pode estar de regresso, pela segunda vez, a Alvalade e, novamente, na condição de emprestado. A notícia foi adiantada pelo jornal Record e confirmada, junto de fonte bem colocada no processo, pelo DN.

O internacional português de 31 anos está vinculado ao Valência, por mais um ano, mas não entra nas contas do emblema espanhol. Na época passada Nani esteve cedido à Lazio onde fez uma época muito discreta e que lhe terá tapado a possibilidade de ser convocado para o Mundial 2018.

Refira-se como curiosidade que José Peseiro foi o treinador que lançou Nani na principal equipa do clube de Alvalade num encontro da pré-eliminatória da Liga dos Campeões diante da Udinese. Nani sairia em 2007 para o Manchester United, a troco de 25,5 milhões de euros, e voltaria, emprestado por um ano, a Alvalade na época 2014/15, envolvido na venda de Marcos Rojo aos red devils.

Ao que o DN apurou há negociações no sentido de Nani regressar e é Sousa Cintra, o presidente provisório da SAD, a liderar essa pasta mantendo contacto direto com o jogador. Mas nada está garantido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.