Sporting-FC Porto é de "risco elevado" e PSP apela à "colaboração de todos"

"É visto como um espetáculo de risco elevado e é preciso um trabalho de conjunto para que tudo corra bem. É um trabalho não só da PSP, mas de toda a comunidade", disse o subintendente Pedro Pinho

A Polícia de Segurança Pública (PSP) classificou esta sexta-feira o clássico de sábado entre Sporting e FC Porto, da 17.ª jornada da I Liga de futebol, de "risco elevado" e pediu a "colaboração de todos" para que não haja incidentes.

"É visto como um espetáculo de risco elevado e é preciso um trabalho de conjunto para que tudo corra bem. É um trabalho não só da PSP, mas de toda a comunidade", afirmou o subintendente Pedro Pinho, em conferência de imprensa.

Como é habitual, a PSP não revelou o número de efetivos destacados para o encontro, mas adiantou que será "menor do que o utilizado" no último Sporting-FC Porto, que ocorreu em abril do ano passado.

"Ainda estamos a trabalhar o assunto. Vai ser menor, mas isso não significa que seja menos eficaz. Temos que ser dinâmicos para garantir a segurança das pessoas", referiu Pedro Pinho.

O responsável da PSP explicou que ainda faltar acertar "alguns detalhes" com o FC Porto para a chegada dos seus adeptos, que deverão ser cerca de 2500, num jogo em que são esperados mais de 40 mil espetadores.

"Para que tudo corra bem, há um trabalho de todos, da junta de freguesia, da Câmara de Lisboa, do clube que recebe o evento, do organizador da competição e do clube visitante. Há um trabalho da cidade. O que nós queremos é que as pessoas cheguem ao estádio, desfrutem de evento e possam querer repetir a experiência porque foi confortável", disse.

O subintendente da PSP realçou que a principal missão é a de "garantir a segurança de pessoas e bens", quer no interior, como no exterior e imediações do estádio, e prevenir quaisquer alterações de ordem pública, nomeadamente em relação a "rivalidades entre grupos organizados de adeptos".

Para o jogo, Pedro Pinho apelou a que os adeptos se desloquem em transportes públicos com antecedência em relação à hora de jogo (15:30) e que evitem transportar malas ou mochilas para dentro do estádio.

As portas do Estádio José Alvalade estarão abertas a partir das 13:30.

O FC Porto lidera a I Liga com 42 pontos, mais oito do que o Sporting, que segue no quarto lugar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.