Marcelo Goiano fala de responsabilidades acrescidas na Taça da Liga

Marcelo Goiano considerou este sábado que o facto de a 'final four' da Taça da Liga de futebol se realizar em Braga "aumenta as responsabilidades" da equipa do Sporting local

O próximo jogo dos bracarenses é com o Tondela, em casa, dentro de uma semana, na primeira jornada do Grupo B da Taça da Liga, competição cuja fase final vai ter lugar novamente no estádio dos 'arsenalistas', tal como na época passada.

"Estamos conscientes da responsabilidade que temos na Taça da Liga, até porque vai ser disputada na nossa casa. A responsabilidade aumenta e todos os jogadores devem estar cientes disso. Vamos dar o máximo, o nosso melhor para cumprir os objetivos na Taça da Liga", que passam por conquistar o troféu, conforme já assumido publicamente pelos seus responsáveis.

Marcelo Goiano, que falava à margem da abertura da nova época das escolinhas do Sporting de Braga, que contou com cerca de 400 crianças na sua Cidade Desportiva, considerou ainda que a eliminação precoce da Liga Europa não alterou a forma de encarar as provas internas, apesar de admitir "ser melhor" para a gestão de Abel Ferreira.

"É melhor para o treinador, porque os jogadores podem descansar mais e não vamos ter aquela maratona de jogos. Temos é de ter a consciência que estamos no caminho certo e conquistar o que está para vir", disse o jogador, que cumpre a sua quinta temporada no Sporting de Braga, um dos líderes do campeonato, juntamente com Benfica e Sporting (todos com 10 pontos).

Um dos 'capitães' da equipa, Marcelo Goiano lembrou que apesar da saída precoce da competição europeia, no campeonato a equipa está entre os primeiros, pelo que, no geral, o balanço até agora "é positivo".

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.