Debate final: Conheça os últimos trunfos dos seis candidatos

As eleições do Sporting realizam-se este sábado. As ideias finais de cada um dos candidatos foi transmitida através do canal do clube

Veja aqui o que disseram na Sporting TV os candidatos João Benedito, José Maria Ricciardi, Frederico Varandas, Dias Ferreira, Rui Rego e Tavares Pereira, naquele que foi o último debate para as eleições do Sporting, que se realizam este sábado.

Alegações finais

Dias Ferreira: "Temos para resolver um problema complicado. Há um caminho do experimentalismo que corre risco de falhar, mas o Sporting não pode andar a fazer testes. O segundo caminho é pouco consentâneo com o Sporting com picardias. E um terceiro caminho de responsabilidade, experiência e competência."

João Benedito: "Compareçam massivamente no ato eleitoral mais importante da história do Sporting. Queremos retribuir ao Sporting aquilo que o clube lhes deu, com títulos. Queremos focar-nos na vitória, na conquista e nos títulos. A minha equipa esteve no campo e sabe conquistar esses títulos de forma sustentada durante muitos e bons anos."

José Maria Ricciardi: "Foi uma grande honra concorrer. Quero pedir desculpa se alguma vez fui mais abrasivo, mas aconteceu porque fui insultado. Mas está tudo sanado. A situação do Sporting não está para romantismo e inexperiência. Temos a profunda convicção que vamos ganhar e pedimos aos sócios que venham em massa. Estamos a contactar jogadores para sermos campeões já este ano."

Tavares Pereira: "A nossa candidatura é de fora de Lisboa, tem 14 distritos representados. Palmilhamos o país e agradeço aos núcleos, que nos apoiaram e mostraram o verdadeiro sportinguismo. Eles fazem parte do clube, tal como as filiais, que têm sido quase desprezadas. Temos de olhar para o futuro. Fizemos esta campanha com orgulho. Vamos respeitar todos os sportinguistas de igual forma. Demos uma lição aos nossos concorrentes que estão fechados. Votem massivamente, ganhe o melhor, mas com transparência, responsabilidade e elevação."

Varandas: "Os sportinguistas já conhecem o meu projeto. Este é o ato eleitoral mais importante dos últimos tempos porque vai decidir se queremos continuar a ser grande. Tenho fome de títulos, quero o Sporting a vencer, com coragem e sem submissão. Nunca mais quero ver perseguições no Sporting e quero um Sporting em que o único critério é amar o Sporting. Só unidos podemos combater com os nossos rivais."

Rui Jorge Rego: "Acabámos por ter uma campanha em que cada um de nós expôs os seus projetos e ficou percetível para os sócios as diferenças. Apelo aos sócios para que compareçam em massa nas eleições, estas eleições são muito importantes porque estamos a entrar num período crítico no futebol mundial. Aconteça o que acontecer, ganhe quem ganhar, que estejamos todos juntos no dia a seguir."

Modelo da SAD

Rui Jorge Rego: "Quando olhei para a questão fui buscar o Paulo Lopo, uma pessoa que já tem experiência numa SAD, no Leixões. Nenhum de nós gere nada do tamanho do Sporting. É um avanço porque nunca existiu."

Dias Ferreira: "A SAD tem de ser uma fonte de receita. O presidente do Sporting tem de ser o presidente da SAD. Se queremos os melhores esses estão empregados."

José Maria Ricciardi: "O Sporting será maioritário, mas terá de ter acionistas, com as VMOC podem entrar novos investidores. O futebol está a transformar-se e ser mais global. É preciso ter investidores e tê-los na administração. Serei eu o presidente da SAD e não vou ter CEO porque sou eu que quero mandar na SAD. Quero apenas executantes, um que trata da parte financeira e outro da parte operacional, não quem decide o que se passa nas SAD."

João Benedito: "Seremos quatro pessoas na SAD, com um CEO cujo nome não revelo porque está no mercado de trabalho. Quero contratar o melhor para esta função, não estou a esconder ou a enganar as pessoas. Garanto total transparência na forma de financiar a SAD."

Frederico Varandas: "O modelo é igual ao da anterior direção, mas todos os acionistas do Sporting serão tratados com dignidade. Toda a informação será transmitida, ao contrário do que era antes."

Tavares Pereira: "Serei o presidente da SAD e temos de captar uma pessoa que será um visionário, que não posso dizer ainda porque é preciso preservar essa pessoa. A formação não está de acordo com as necessidades do Sporting, porque se assim não fosse não teríamos os problemas financeiros que temos. Connosco será tudo transparente."

Rui Jorge Rego: "A SAD dedica-se ao futebol profissional e tem de ser uma empresa lucrativa. As regras e o modelo têm de estar definidos. Um plantel entre equipa principal e sub-23 com 45 ou 46 jogadores para os miúdos estarem perto de entrar na equipa principal, tenho pena de não haver equipa B. As mais-valias da venda de jogadores e entrada na Champions serão para investir no plantel e dar dinheiro ao clube, porque é preciso financiar as modalidades. Temos parcerias estratégicas para pôr o Sporting no mundo, aumentar o número de pessoas para que os nossos produtos sejam vendidos a mais pessoas e não é por acaso que formos buscar parcerias ao Brasil e à China. O Paulo Lopo será o presidente da SAD. Há objetivos, orçamentos e princípios, com a formação com a base polvilhada pelas estrelas."

Academia e formação

Rui Jorge Rego: "Um dos problemas da formação é o ano de transição para a equipa sénior, porque a nossa equipa sénior joga sempre sob brasas. Raramente há uma vantagem no marcador para que sejam lançados os miúdos. O Rui Patrício tinha uma cabeça forte senão tinha sido destruído porque foi lançado às feras."

Dias Ferreira: "A Academia, enquanto estrutura, tem deficiências de tamanho e localização e por isso prevemos a construção de uma nova Academia, ficando a atual para centro de treinos e para rentabilização de estágios de clubes estrangeiros. Temos de fazer um estudo para esse projeto de futuro. Não posso jurar que vou fazer, mas temos isso no programa. O problema da formação da formação são os recursos humanos. Tivemos um dirigente da Academia, o dr. Ribeiro Teles, que era um homem que tinha um trabalho na formação que só podia dar bons resultados. Tínhamos o professor Mil-Homens e o coordenador técnico que era Jean Paul, que diziam que eram do Benfica, de reconhecida competência, que foram afastados no tempo de Godinho Lopes."

João Benedito: "Fui a Munique conhecer outra realidade. Foi lá porque podemos estabelecer algumas parcerias. A construção de uma nova academia do Bayern tem alguns princípios, mas tendo ido lá não quer dizer que vá fazer como eles. Mas o que quero para o Sporting pode ser feito. Queremos estar no topo da Europa. Foi estabelecido que os nossos técnicos de marketing podem ir fazer formação. Temos de nos equiparar aos melhores. Temos de trocar ideias, para posicionar o Sporting no topo da Europa."

Frederico Varandas: "Foi um erro estratégico gravíssimos acabar com a equipa B. Comigo terá de voltar, mas terá de ser pelos distritais. O campeonato sub-23 não tem a mesma competitividade que uma II Liga. Não basta ter os melhores técnicos, tem de haver investimento"

José Maria Riciardi: "O João Benedito foi à academia do Bayern, que é cem vezes pior que a nossa. Há ajustamentos a fazer na Academia, tenho grande orgulho nela. O problema não é dos funcionários, falta-nos espaço. É preciso adquirir o terreno contíguo porque a academia precisa de um novo relvado com bancadas, porque o único que tem muita utilização. Mas ainda assim tem sido feito um trabalho notável. Tem de haver uma gestão e liderança mais capaz para retificar o que se perdeu nos últimos anos. A Academia nunca foi devidamente promovido internacionalmente"

Tavares Pereira: "Não temos consciência do que se passa na Academia. É uma exigência que a formação seja o que já foi. A Câmara Municipal de Alcochete não dá nenhum apoio. Os jovens passam mais tempo nos transportes do que na Academia. Tem de haver muito rigor na Academia. Se não houver rigor o Sporting não tem viabilidade."

Rui Jorge Rêgo: "Houve desinvestimento mas tem havido concorrência. Temos de ter os melhores métodos de treino. Dizem-me que temos mais de 60 miúdos na Academia e só 11 ou 12 são titulares nas suas equipas. Temos de perceber as nossas lacunas"

Frederico Varandas: "O Sporting tinha sempre a maioria dos convocados em todos os escalões, agora só se aguenta nos sub-17. Precisamos de investimento para o recrutamento. Temos que investir e dominar os distritos de Lisboa e Setúbal e também Braga, que é o distrito mais jovem. Não estamos bem nos miúdos entre os 6 e os 15 anos. Temos que ter um único coordenador técnico, os juniores não podem treinar em sintético. Temos um pólo universitário com 190 miúdos em que as pessoas trabalham por amor ao clube. Temos que ter os melhores, mas também temos de ter as melhores condições. Com a unidade de performance teremos de ter jogadores mais robustos e menos propensos a lesões."

João Benedito: "O treinador principal tem que ter perfil para ser treinador do Sporting e olhar para a formação. Espero que não haja lóbi no aproveitamento dos jogadores. Há coisas a fazer internamente. Tem que passar pela interação com a equipa principal de futebol com um diretor técnico para toda a estrutura. Equipa B? Vamos ter que começar por escalões mais reduzidos. Na Liga revelação também podemos fazer esse aproveitamento, superior ao número de jogadores que temos. Temos de ter entre 48 e 52 jogadores, Com 23 jogadores na equipa principal, mais os sub-23, podemos fazer esse aproveitamento. "

Futebol

Dias Ferreira: "Já conseguimos debater sozinhos, se calhar já não precisamos de moderador (risos)"

Tavares Pereira: "A Academia não funciona, vimos agora em quem rescindiu. Ou nós temos uma academia que dá rendimento... não podemos passar ao lado e ver os nossos rivais terem grandes jogadores. Não temos pessoas capazes de captar os jovens, a academia é a coisa menos boa que temos no Sporting"

Rui Jorge Rego: "Há fatores que não podem ser dissociados; a corrupção e a impunidade. Isto é um problema em escada, lá fora em caso de dúvida também é contra nós e porque nós aqui não nos entendemos""

Dias Ferreira: "Quem pratica a corrupção é que incita à violência dos adeptos. Tenho o maior respeito pela instituição Benfica e o maior desprezo por quem ganha com meios ilícitos"

Rui Jorge Rego: "Nós passamos a vida em guerras internas, todos temos a obrigação de amanhã não termos mais guerras internas, porque só assim teremos força para fazermos a guerra que temos de fazer."

Frederico Varandas: "Não pode haver paz na bancada enquanto não se jogar limpo. Portugal tem que por os olhos em países mais avançados e olhar que estamos atrasados por causa da corrupção, assim não há paz. O Governo não pode assobiar mais para o lado "

José Maria Ricciardi: "Se houver direções do Benfica que cometeram crime devem ser presos, se o Benfica deve ir parar à II divisão, se a lei disser isso... mas temos um problema mais grave: em nenhum país da Europa os clubes se insultam. Não podemos branquear as nossas debilidades, nós não ganhámos muitas vezes porque faltou capacidade e liderança. Faço um agradecimento ao Dr. Bruno de Carvalho pela introdução do VAR.

Dias Ferreira: "Não é possível ninguém ganhar em ambiente de concorrência desleal que é uma coisa normal em Portugal. Lamentamos viver num país em que às vezes os gatunos é que são os bons, os nossos concorrentes não são leais. Este momento é crucial, não é só não ganhar o campeonato, é a sobrevivência. Para Portugal este processo (E-Toupeira) é o mais grave de todos. Temos que por termo a isto, estas situações não podem continuar. Foi gravíssimo uma comissão sem mandato ir dar beijinhos ao Benfica. Como presidente do Sporting não estarei na tribuna do Benfica numa competiçao em que existe concorrência desleal"

João Benedito: "Quando foi Alcochete muitos se pronunciaram, altas instâncias, sportinguistas, e agora ninguém se pronunciou. Enquanto não houver esclarecimentos sobre estes casos na justiça... estamos aqui para defender o Sporting. Dois adeptos do Sporting assassinados, com cânticos em pavilhões, o presidente do Benfica disse que se ia aproveitar das rescisões e estes senhores sabem que ele fez propostas. Comigo não, comigo o Sporting em primeiro lugar. E aqui estamos a ser prejudicados desportiva e financeiramente. Desde 2012 não há um jogo da seleção em Alvalade porquê? Se tiverem de ir para a II divisão, que vão."

Rui Jorge Rego: "Existe incapacidade das pessoas em castigar o que nos leva a ter uma posição mais ativa. 2015/2016 parece-me óbvio... se o Benfica for punido terá de nos ressarcir. Há muita gente que nem quer ouvir falar do campeonato português. Há jogadores que dizem 'Portugal nem pensar'. E como ninguém se preocupa com isto. E quando cair, cai tudo."

Frederico Varandas: "Olhar para dentro de casa e tentar ser o mais competente possível. Eu vi o Apito Dourado e aquilo é uma vergonha para o FC Porto e futebol português, infelizmente não fomos ressarcidos dessa década. E agora é o E-Toupeira que é outra vergonha, O Sporting até hoje não foi condenado de nada sobre corrupção, comigo o Sporting não terá telhados de vidro, não podemos ignorar o que se está a passar, é a altura de varrer a porcaria do futebol português. Isto envergonha o país. E queremos ser ressarcidos. Em Itália não houve medo de mandar equipas grandes para a II Divisão. Isto é uma vergonha o que se está a passar e é só o início. Vamos estar atentos ao que acontecer, doa a quem doer."

Finanças

- João Benedito: "Não há que ter receio do futuro e acreditar que esta reestruturação vai para a frente"

- Tavares Pereira: "É preciso acreditar na Comissão de Gestão e fazer o que se deve fazer. Houve vendas mas também compras de jogadores. Já perguntei como estão a fazer ao nível das compras e vendas e disseram-me que era sigilo. Devia ter respeito por quem era candidato"

- José Maria Ricciardi: "O Doumbia saiu e o seu custo reduziu os custos da SAD, os honorários de Jesus a mesma coisa. Há de vir um relatório para mostrar a diminuição efetiva dos custos. É preciso ver dos jogadores que rescindiram e que voltaram, se voltaram nas mesmas condições. Quero ver as contas do que pagávamos antes e pagamos agora. Apesar do que diz Frederico Varandas, que é verdade, que Doumbia e Jorge Jesus é dinheiro, quero ver quanto custaram as novas contratações."

- Rui Jorge Rego: "Não vou falar dos números mas volto a insistir é como chegámos aqui. O que nos traz a este ponto? Os orçamentos são maiores do que a receita. Temos de saber como fazer para que isto não volte a acontecer. Quanto aos números concretos é triste percebermos que só nos podemos fiar nas contas de março de 2019. Cada um diz uma coisa. Isto tem que acabar no Sporting, enquanto isto não acabar não voltamos a ser campeões. E a mim não me interessa quem está certo."

- Frederico Varandas: "Primeiro é uma constatação que a situação não era tão boa nem de vida ou de morte. A minha equipa chegou à conclusão de que o défice de tesouraria é de 120 milhões de euros. Não estão englobadas as vendas de William e Piccini e reduzimos muito com a saída da equipa técnica e do Doumbia. Já estamos a falar de valores diferentes. A anterior direção iniciou uma reestruturação financeira interessante de recompra das VMOC com desconto e do passivo com desconto. É importante discutir receitas além da performance desportiva."

- Tavares Pereira: "Quanto ao passivo do Sporting é exagerado porque os títulos que ganhámos não correspondem ao passivo. Se não houver uma gestão adequada o dinheiro da NOS pode acabar rapidamente. Se não houver títulos e a academia não funcionar o Sporting vai ter ainda mais problemas financeiros. Nós todos faríamos uma grande equipa, lanço este desafio de que todos podemos fazer uma grande equipa."

- José Maria Ricciardi: "Não acredito no que disse Torres Pereira. Estudei este assunto o défice de tesouraria do Sporting (SAD e clube) deve andar à volta dos 100 milhões de euros. Mas se fizermos o empréstimo de 30 milhões de euros passa para 70 milhões. E depois há mais 32 milhões que é a história dos jogadores vendidos acima dos oito milhões e que o Sporting no que acresce divide com os bancos. E há ainda a conta reserva em que tem de meter X por ano para as VMOC de forma a não perder a maioria da SAD. Isso representa 32 milhões. Se somarmos ao défice de tesouraria que digo que são 100 andamos nos 130, 125, 118. O que acontece é que se o Sporting fizer a reestruturação os 32 não são devidos porque os bancos aceitam vender a sua dúvida. Lamento que Dr. Torres Pereira tenha enganado os sócios, isto é um assunto difícil. Ele vai sair dia 8 e não ter que lidar com isto."

- João Benedito: "Ninguém sabe o que está a dizer, uns dizem uma coisa, outros dizem outra. Que a informação não seja omissa para aqueles que vão chegar ao clube. A dívida de tesouraria não é tão elevada como se estava à espera, nem a situação tão complicada. Todos esperamos não ser surpreendidos. É importante que se tenha paz. Estamos esperançados que não vamos ser surpreendidos com a auditoria forense, é importante que haja paz nesta questão, é importante que não venha a público um elemento da comissão de fiscalização, vamos ter prudência"

- "Descansa-me a reestruturação financeira que está em curso, tenho que acreditar que a situação está controlada, se assim não for quem fez a afirmação terá que arcar com as responsabilidades, não posso pensar em surpresas"

- Vai começar a falar Dias Ferreira

João Benedito, José Maria Ricciardi, Frederico Varandas, Dias Ferreira, Rui Rego e Tavares Pereira vão encontrar-se esta noite pela última vez na Sporting TV para tentarem lançar os últimos cartuchos de forma a convencer os sócios que se encontram indecisos. O DN vai dar-lhe a conhecer as principais ideias de cada candidato.

Ler mais

Exclusivos