Sérgio Conceição. A maldição leonina continua nos jogos de mata-mata

Nem à quinta foi de vez. O treinador portista voltou a perder um jogo de mata-mata com o Sporting e continua sem conquistar a Taça de Portugal.

A maldição continua. Sérgio Conceição voltou a perder um jogo de mata-mata com o Sporting. À quinta tentativa, o técnico voltou a falhar, depois de ter sido derrotado este sábado pelos leões no desempate por grandes penalidades, após o 2-2 com que terminou o prolongamento.

Bem se pode dizer que a Taça de Portugal é uma espinha encravada na garganta do treinador portista, de 44 anos, pois em 2014-15 esteve a um curto passo de fazer a festa como técnico do Sp. Braga, acabando por ver esfumar-se a vantagem de 2-0 frente ao Sporting de Marco Silva nos últimos seis minutos do tempo regulamentar, tendo depois perdido num desempate por penáltis dramático que contou com o guarda-redes Rui Patrício lesionado na baliza leonina.

Desta vez também foi preciso recorrer aos penáltis que já tinham custado caro a Sérgio Conceição nas quatro vezes que teve pela frente o Sporting numa eliminatória. A tal ao serviço dos bracarenses e agora passam a ser quatro já como treinador do FC Porto.

Em 2017-18 o técnico dos dragões foi afastado nas meias-finais da Taça da Liga, em Braga, pois na sequência de um empate 0-0 nos 90 minutos, o jogo teve de ir para o desempate por penáltis, ganho pelos leões por 4-3, com Brahimi a rematar ao lado e Bryan Ruiz a dar o apuramento à equipa então treinada por Jorge Jesus.

Nessa mesma época, os dois rivais reencontraram-se nas meias-finais da Taça de Portugal. Na primeira mão, no Estádio do Dragão, o FC Porto ganhara por 1-0, graças a um golo de Soares. Contudo, na segunda partida, em Alvalade, um golo de Coates aos 85 minutos levou o jogo para prolongamento e, depois, mais uma vez para o desempate por penáltis. Fredy Montero fez o remate decisivo, depois de Marcano ter atirado ao poste.

A penúltima desilusão de Sérgio Conceição tinha sido já esta época, na final da Taça da Liga, disputada em Braga. Quando Fernando Andrade colocou o FC Porto em vantagem aos 79 minutos, já poucos imaginavam que o troféu escaparia aos dragões, mas Óliver Torres derrubou Diaby na área já perto do apito final do árbitro, permitindo que Bas Dost convertesse o penálti e levasse o jogo para o desempate aos 92'+2. Nos penáltis, repetiu-se a história. O Sporting venceu por 3-1 numa noite em que brilhou o seu guarda-redes Renan Ribeiro, que defendeu três remates de jogadores portistas.

Este sábado a história voltou a repetir-se. O jogo com o Sporting terminou empatado a dois golos após o prolongamento e na lotaria dos penáltis a sorte voltou a sorrir aos leões.

Exclusivos