Uma seleção com Ronaldo e João Félix e sem André Silva na Liga das Nações

A seleção nacional é a anfitriã da final four da Liga das Nações. Nas meias-finais, Portugal defronta a Suíça, a 5 de junho, no Estádio do Dragão (19.45), local da final a 9 de junho.

O selecionador nacional já escolheu os 23 que vão representar Portugal na Liga das Nações. Como era de esperar a lista conta com o regresso de Cristiano Ronaldo, que falhou a fase de qualificação. Diogo Jota e João Félix são as principais novidades numa lista que não tem André Silva (lesão), André Gomes e João Mário, entre outros.

Cristiano Ronaldo, de 34 anos, o jogador com maior número de jogos (156) e golos (85) pela seleção nacional, foi o grande ausente da fase inicial da competição, por decisão conjunta com Fernando Santos, na qual a equipa campeã europeia venceu o grupo 3 de qualificação, à frente da Itália e a da Polónia, com duas vitórias e dois empates.

João Félix, de 19 anos, que se assumiu como uma das principais referências do Benfica na segunda metade da época 2018/19, contribuindo decisivamente para a conquista do 37.º título nacional por parte da equipa lisboeta, já tinha sido chamado para o arranque da fase de apuramento para o Euro2020, frente à Ucrânia e Sérvia, mas não foi utilizado em nenhum dos encontros.

A seleção nacional é a anfitriã da final four da Liga das Nações. Nas meias-finais, Portugal defronta a Suíça, a 5 de junho, no Estádio do Dragão (19.45). Na outra meia-final da Liga das Nações, dia 6 de junho, em Guimarães, enfrentam-se Inglaterra e Holanda.

Os vencedores disputam a final da primeira edição da Liga das Nações, em 9 de junho, no Estádio do Dragão, em encontro com início às 19.45, enquanto os vencidos decidem no mesmo dia a atribuição dos terceiro e quarto lugares, no Estádio D. Afonso Henriques, a partir das 15.00.

Eis a lista e o que fizeram esta época

GUARDA-REDES

Rui Patrício. Chega à seleção depois de uma grande época em Inglaterra, um ano depois de ter deixado o Sporting. Titular sem parar desde 2011, o guarda-redes do Wolves não tem rival à altura na baliza da seleção nacional.

Beto. Uma época positiva na difícil e disputada liga turca ao serviço do Göztepe.

José Sá. Uma temporada positiva ao serviço do Olympiacos, um ano depois de deixar o FC Porto, onde na época passada chegou a ser titular à frente de Casillas.

DEFESAS

Pepe. É um dos capitães da seleção e pilar da defesa desde 2007. Regressou ao FC Porto em janeiro depois de rescindir com o Besiktas e lutou pelo campeonato até ao fim, ainda que nem sempre como titular face à forte concorrência de Militão e Felipe. Falta-lhe ainda jogar a final da Taça de Portugal no sábado com o Sporting.

José Fonte. O central de 35 anos fez uma grande temporada ao serviço do Lille, a equipa surpresa do campeonato francês que lutou pelo título com o PSG (acabou campeão).

Rúben Dias. Fez uma grande época ao serviço do Benfica e não faltam interessados no seu concurso. Acaba a época como titularíssimo e opção óbvia para a seleção em crise de centrais. Já tinha ido ao Mundial 2018. Deverá ser titular indiscutível, ao lado de Pepe.

Nelson Semedo. Fez uma boa temporada ao serviço do Barcelona (45 jogos) e acabou a festejar o título espanhol. Ainda vai jogar a final da Taça do Rei frente ao Valência.

João Cancelo. Chega à seleção depois de uma grande temporada ao serviço da Juventus (onde ingressou esta época e fez 34 jogos), que acabou com a conquista do scudetto.

Raphael Guerreiro. Regressou à boa forma física esta época ao serviço do Borussia Dortmund. Lutou pelo título, mas acabou a Bundesliga em segundo lugar.

Mário Rui. Foi um dos destaques do Nápoles esta temporada. Deu alguma luta à Juventus, mas acabou o Calcio em segundo lugar.

MÉDIOS

Danilo Pereira. Apesar das lesões, regressou em força para ser o pilar do meio campo do FC Porto. Está na lista apesar de ir cumprir um jogo de castigo. Lutou pelo título nacional até à última jornada e ainda vai jogar a final da Taça de Portugal. Venceu a Supertaça no início da temporada.

William Carvalho. Na época em que saiu do Sporting e rumou a Espanha, chega à seleção sem títulos pessoais ou coletivos, apesar da época positiva no Bétis.

Rúben Neves. Fez uma grande temporada ao serviço do Wolverhampton, que acabou a Premier League em sétimo. Destacou-se no meio campo ao lado de Moutinho e chega à seleção a lutar por um lugar com William e Danilo.

João Moutinho. Mais uma grande temporada ao serviço do Wolverhampton, onde chegou no início da época para ser treinado por Nuno Espírito Santo. Formou dupla com Rúben Neves e acabou eleito o melhor jogador da equipa pelos adeptos.

Bruno Fernandes. Chega à seleção depois de realizar a sua melhor época. Com 32 golos esta época, é o médio mais goleador de sempre com 32 golos (20 na Liga, apenas atrás do benfiquista Seferovic). Ganhou a Taça da Liga pelo Sporting e ainda vai jogar a final da Taça de Portugal. Terá o Manchester City no seu encalce.

Pizzi. Campeão pelo Benfica, fez um grande final de temporada e destacou-se nas assistências. É o jogador com mais passes para golo nos principais campeonatos europeus (19).

AVANÇADOS

Cristiano Ronaldo. Regressa à seleção depois de falhar a fase de qualificação. Foi campeão em Itália no ano de estreia no Calcio e eleito o melhor jogador do campeonato. Falhou aquela que era a principal meta da equipa italiana: a conquista da Liga dos Campeões Tem 28 golos esta temporada.

Bernardo Silva. O mais titulado da lista. O maestro da equipa do City chega à seleção depois de vencer o campeonato inglês, a Taça de Inglaterra, a Taça da liga inglesa e a Supertaça. Marcou 14 golos e foi um dos destaques da equipa de Guardiola.

Diogo Jota. A solução para o ataque no lugar de André Silva. Fez uma grande época ao serviço dos Wolves, que acabou a Premier League em sétimo. Marcou 10 golos em Inglaterra, nove deles na Premier League.

Gonçalo Guedes. Mesmo assolado por algumas lesões, acabou por fazer uma temporada muito positiva no Valência. Chegou às meias-finais da Liga Europa e marcou oito golos durante a época.

Rafa Silva. Um dos destaques do campeonato do Benfica. Fez uma época impressionante de águia ao peito (a melhor desde que chegou à Luz) e acabou a temporada com 21 golos na conta pessoa e contrato renovado.

João Félix. A grande surpresa da época vencedora do Benfica foi chamado depois das celebrações do título nacional e dos 15 golos marcados no campeonato (mais 5 nas outras competições). Aposta de Bruno Lage, assim que pegou na equipa do Benfica, acabou por ser fundamental na ponta final da temporada encarnada, como titular indiscutível.

Dyego Sousa. Aposta de Fernando Santos para o ataque da seleção. Fez uma época positiva ao serviço do Sp. Braga. Chega sem títulos e com 20 golos na conta pessoal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.