Seleção de sub-21 vence no País de Gales mas continua em terceiro lugar

Portugal venceu por 2-0 graças aos golos de André Horta e João Félix, mas apuramento para o Europeu continua complicado

A seleção nacional de sub-21 venceu esta terça-feira o País de Gales, por 2-0, em jogo realizado em Bangor, de apuramento para o Europeu da categoria.

A equipa das quinas adiantou-se no marcador com um golo de André Horta aos 35 minutos. Na segunda parte, apesar da expulsão de Yuri Ribeiro, por acumulação de cartões amarelos, Portugal aumentou a vantagem por João Félix, aos 73 minutos.

Apesar deste triunfo, Portugal mantém-se no terceiro lugar do grupo 8, a dois pontos de Roménia e Bósnia, que se defrontaram também esta terça-feira, tendo os romenos levado a melhor por 2-0.

A seleção nacional terá agora de vencer os dois jogos que restam, no Liechtenstein e em casa com a Bósnia, se quiser manter a esperança no apuramento para a fase final, sendo que a qualificação direta - através do primeiro lugar - está bastante complicada, uma vez que é preciso, que a Roménia não perca um dos dois jogos que tem em casa, precisamente com o Liechtenstein e o País de Gales.

Refira-se ainda que os quatro melhores segundos classificados de todos os grupos vão disputar um play-off, mas até aí a tarefa portuguesa não se afigura fácil, tendo em conta o que se passa nos outros grupos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.