Rio Ave e Feirense continuam jejum de vitórias

No jogo que fechou a 18.ª jornada, vilacondenses e fogaceiros não foram além do 0-0

Continua o jejum de vitórias de Rio Ave e Feirense, que este domingo fecharam a jornada 18 da I Liga com um empate 0-0, em Vila do Conde.

É preciso recuar a 27 de outubro para encontrar um triunfo dos vilacondenses (frente ao Chaves, por 1-0), que vão numa série de dez jogos sem ganhar, dos quais seis foram derrotas.
Por sua vez, o Feirense não vence para o campeonato desde 20 de agosto (1-0 em Guimarães) e está numa sequência de 16 jogos sem ganhar, dos quais oito são derrotas. A equipa de Nuno Manta Santos está por isso no penúltimo lugar com apenas 13 pontos.

FICHA DO JOGO

Estádio do Rio Ave FC
Árbitro: João Pinheiro (Braga)

Rio Ave: Léo Jardim; Eliseu Nadjack, Jonathan Buatu, Nélson Monte, Afonso Figueiredo (Vitó, 87'); João Schmidt, Diego Lopes; Leandrinho (Bruno Moreira, 54'), Gabrielzinho (Tarantini, 43'), Fábio Coentrão; Carlos Vinícius
Treinador: Daniel Ramos

Feirense: Alampasu; Diogo Almeida, Philiphe Sampaio, Antonio Briseño, Tiago Gomes; Ali Ghazal, Rafael Crivellaro (Fábio Sturgeon, 77'), Tiago Silva, Vítor Bruno (João Tavares, 90'+5); Petkov (Edinho, 66'), José Valencia
Treinador: Nuno Manta Santos

Cartão amarelo a Petkov (13'), Diogo Almeida (45'+1), Tiago Silva (45'+2), Alampasu (81')

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.